Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Tecnologia do concreto salva Estrada da Graciosa

Área Técnica, Gestão, Gestão de Obras, Sobre Concreto 13 de agosto de 2014

Rodovia centenária ganhou uma ponte no lugar do trecho que desmoronou. Solução bem sucedida teve uso inédito pelo DER-PR

Por: Altair Santos

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) investiu na tecnologia do concreto para reconstruir o trecho da Estrada da Graciosa que desmoronou em função das chuvas, em março de 2014. Uma ponte substituiu parte da pista danificada. Segundo o engenheiro civil Márcio José Tozo, gerente de obras e serviços do DER-PR, e responsável pela recuperação da rodovia, a opção por uma estrutura de concreto se deu por causa do terreno onde ocorreu o acidente. “Foi uma solução conjunta do DER-PR, que mobilizou engenheiros civis e geólogos para chegar na melhor maneira de se fazer a recuperação. O escorregamento ocasionado não deixou plataforma para a construção de um muro de contenção, nem a execução de um aterro, pois a inclinação é superior a 45 graus”, explica.

Estrada da Graciosa: pavimentação original, em paralelepípedo, será mantida

A Estrada da Graciosa, com seu trajeto original, recoberto por pavimento de paralelepípedo, foi construída em 1873. Atualmente, devido aos recentes danos, a rodovia segue em obras e só será integralmente reaberta em setembro. Por enquanto, ela opera em meia pista. A outra parte será entregue quando for finalizada a pavimentação, seguindo o padrão histórico – com paralelepípedos. Para Márcio José Tozo, o maior desafio nesta etapa de recuperação foi definir a obra a ser executada (tipo de estrutura, fundação e espaço para realizar os serviços) preservando o meio ambiente e as características da estrada, além de levar em conta as questões climáticas, prazos e o transporte de materiais, já que a rodovia centenária tem um limite de carga.

O DER-PR monitora constantemente a Estrada da Graciosa. Na maioria das vezes que a rodovia precisa de manutenção executa-se muros de contenção nos pontos críticos. Para esta obra, que usou uma tecnologia inovadora na estrada, foram utilizados 450 m³ de concreto. A estrutura envolveu 16 pilares, 36 vigas de 10 metros cada, lajotas para sustentar a nova travessia, guarda-corpos, sistemas de drenagens e muros de sustentação. “Quando totalmente liberada, a pista estará apta para receber o tráfego autorizado para a estrada: veículos leves (carros), além de pequenos caminhões e vans”, garante o gerente de obras e serviços do DER-PR. Nos dias de semana, a Estrada da Graciosa recebe 50 veículos por hora. Nos finais de semana, este número dobra – 100 veículos por hora.

Estruturas de concreto foram usadas pela primeira vez para recuperar a rodovia centenária

O tráfego em meia pista na Estrada da Graciosa foi liberado dia 9 de julho. Para organizar o fluxo neste período de transição da obra, foi instalado um semáforo, que permite a circulação e evita acidentes no local. “Foi autorizado o trânsito, antes mesmo da conclusão da ponte, para ajudar a população do litoral e promover o comércio local. Por isso, o motorista deve prestar atenção quando passar pela região”, alerta o superintendente do DER-PR, Gilberto Loyola. A Estrada da Graciosa também é conhecida como PR-410. Levou vinte anos para ser construída e durante quase 80 foi a principal ligação entre Curitiba e o litoral paranaense, tanto para transporte de cargas quanto de pessoas.

 

 

Entrevistado
Engenheiro civil Márcio José Tozo, gerente de obras e serviços do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR)

Contato
claragao@seil.pr.gov.br

Créditos Fotos: Arnaldo Alves/ANPr

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: