Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Sistema de paredes de concreto chega ao 20º andar

Área Técnica, Inovação, Novas Tecnologias, Sobre Concreto 19 de março de 2015

Método construtivo, aplicado na cidade de Barueri-SP, é utilizado pela primeira vez no Brasil para erguer torres com mais de dez pavimentos

Por: Altair Santos

Consagrado em obras do Minha Casa Minha Vida, para edifícios com até cinco pavimentos, o sistema construtivo de paredes de concreto é usado pela primeira vez no país para erguer torres com mais de dez andares. A iniciativa está a cargo da RICAM Incorporações e Empreendimentos Imobiliários, que em Barueri, na região metropolitana da cidade de São Paulo, constrói dois prédios – um com 20 e outro com 17 pavimentos.

Tecnologia de paredes de concreto gerou ganho de seis meses no cronograma da obra

O cronograma apertado e a racionalização do canteiro de obras é que levou a construtora a adotar esse modelo. “Entre as variáveis, pesaram rapidez de execução; diminuição do efetivo de funcionários; intenção da empresa em aprimorar e repetir as mesmas tipologias de plantas dos pavimentos; supressão de etapas consecutivas à estrutura, como revestimentos internos e externos, e diminuição de consumo de água na obra e também da quantidade de entulhos”, explica o engenheiro civil Paulo Cezar de Oliveira Marra, gerente de obras da construtora.

Para executar a obra, foram necessários superar desafios e contar com o apoio técnico da ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland). “Tivemos a ajuda da ABCP, através workshops e cursos sobre o tema paredes de concreto. Hoje, nosso empreendimento virou case e já foi visitado por cerca de 40 empresas da região de Recife e Belo Horizonte”, revela Paulo Marra, relacionando os principais obstáculos no canteiro de obras:

– Contratar mão de obra especializada para executar e fiscalizar a implementação do sistema construtivo.
– Desenvolvimento de um traço específico para o concreto.
– Criar interface para que o sistema recebesse paredes de dry wall, caixilhos de alumínio e instalações elétrica e hidráulica.

Concreto autoadensável
De acordo com o gerente de obras da RICAM, a solução para a mão de obra foi contratar empresas terceirizadas especializadas em atuar com o sistema construtivo de paredes de concreto. Quanto ao concreto, chegou-se a um consumo de 6.700 m³, utilizando material autoadensável e com resistência variando entre 30 MPa e 40 MPa. “Com as soluções encontradas, ganhamos aproximadamente seis meses no cronograma de obras, em relação à alvenaria convencional”, diz Paulo Marra.

Prédio Vista Bella: consumo de 6.700 m³ de concreto autoadensável

Para viabilizar as torres do Vista Bella Residencial Club, a construtora utilizou formas de alumínio que não possuem nem rebites nem emendas na face que faz contato com o concreto. Além disso, elas eram mais leves que as formas convencionais – pesando menos de 18 kg/m² -, e já vinham com vãos para janelas e portas. A tecnologia permitiu executar, em média, um pavimento a cada quatro dias.

Outra característica do empreendimento é que ele utiliza um sistema misto, entre autoportante e com pilares e

estacas. “Nosso projeto é interpretado de forma autoportante, mas existem vários pontos da estrutura onde a armação é mais densa, por meio de armadura dupla, o que a deixa parecido com uma região de pilar”, relata Paulo Marra.

Com 294 apartamentos, todos com área útil de 53 e 55 m2 e dois dormitórios, as torres erguidas através do sistema de paredes de concreto serão concluídas no primeiro semestre de 2015.

Torres com 20 e 17 pavimentos transformaram-se em case para workshops da ABCP

Entrevistado
Engenheiro civil Paulo Cezar de Oliveira Marra, gerente de obras da RICAM Incorporações e Empreendimentos Imobiliários
Contato: paulomarra@ricam.com

Créditos Fotos: Divulgação/RICAM

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:

1 Comentário