Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Série grandes obras: Amazonas investe R$ 3 bilhões

Gestão, Gestão de Obras, Grandes Obras 23 de fevereiro de 2012
Cinco grandes empreendimentos mobilizam a construção civil do maior estado do país, com destaque para a Arena da Amazônia e o monotrilho

 

Por: Altair Santos

O Amazonas prioriza atualmente cinco grandes obras que vão influenciar diretamente na infraestrutura do Estado. São elas, a Arena da Amazônia – uma das subsedes da Copa do Mundo de 2014 -, o Monotrilho de Manaus, o centro de convenções do Amazonas, a duplicação da AM-070 e intervenções viárias no município de Manaus. Para essas obras, algumas em parceria com o governo federal, serão investidos R$ 3 bilhões nos próximos dois anos.

Arena da Amazônia: estádio vai demandar a fabricação de 2,5 mil peças de concreto pré-moldado.

Dos empreendimentos, estão em construção a Arena da Amazônia e o centro de convenções. A próxima a sair do papel será a duplicação da AM-070, que faz a ligação entre a capital e os municípios de Iranduba, Novo Airão e Manacapuru – todos eles integrantes da Região Metropolitana de Manaus. Essa obra tornou-se urgente, pois faz parte do complexo viário que tem como protagonista a ponte sobre o Rio Negro, inaugurada em 2011.

De acordo com o projeto executivo da duplicação da AM-070, está prevista a construção de duas pistas com 7,10 m de largura e acostamento e drenagem de 2,30 m para cada lado. A pista terá largura total de 18,80 m, além de contemplar a duplicação das pontes sobre o Rio Miriti e Rio Ariaú. O custo previsto para a realização desta obra será da ordem R$ 236 milhões e vai abranger 78 quilômetros.

Outro empreendimento prestes a começar é o que vai instalar um corredor de transporte coletivo na Avenida das Torres de Manaus. A pista onde vão circular os ônibus terá extensão de 11,2 quilômetros e a Secretaria de Estado de Infraestrutura (SEINFRA) tenta viabilizar junto à Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) para que o corredor seja construído em concreto. Esse projeto, assim como o do Monotrilho, receberá recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O Monotrilho é a obra mais cara do atual governo do Amazonas. Vai custar R$ 1,3 bilhão e será um metrô de superfície sustentado por vigas de pré-moldado numa extensão de 20 quilômetros e com capacidade para transportar 170 mil pessoas por dia. A assinatura do contrato ocorreu dia 10 de fevereiro de 2012 e a construção ficará a cargo do Consórcio Monotrilho Manaus, composto pelas empresas CR Almeida S.A., Engenharia de Obras Mendes Júnior Trading e Engenharia S.A, além da Scomi Engineering BHD, responsável pelo fornecimento da tecnologia e dos veículos que irão compor o Monotrilho.

Segundo a secretária da SEINFRA, Waldívia Alencar, a assinatura do contrato permitirá o início da elaboração do projeto executivo. “A partir de agora, o consórcio vencedor da licitação inicia o projeto executivo e o delineamento da área onde será realizada a obra para implantação do Monotrilho“, afirmou. O empreendimento tende a consumir mais concreto pré-moldado do que a Arena da Amazônia. O estádio vai demandar a fabricação de 2,5 mil peças e tem consumo estimado de 26,2 mil m³ de concreto.

Ainda de acordo com Waldívia Alencar, essas novas obras também irão impulsionar a construção civil do Amazonas. “Elas trarão desenvolvimento socioeconômico e tecnológico ao setor. Obras como a da Arena da Amazônia e a do Monotrilho representam a absorção de tecnologias até então inexistentes em nosso mercado, principalmente no que diz respeito ao Monotrilho“, conclui.

Imagem do monotrilho de Manaus: com contrato já assinado, obra será recordista no estado em consumo de concreto pré-moldado.

Entrevistado
Secretaria de Estado de Infraestrutura (SEINFRA) do Amazonas
Contato:
gabinete@seinf.am.gov.br / comunicacao@seinf.am.gov.br

Créditos foto: Divulgação /Roberto Carlos/SEINFRA

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: