Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Remuneração não para de crescer na construção civil

Comportamento e Carreira, Gestão, Mercado da Construção 15 de janeiro de 2014

Estudo da consultoria Michael Page aponta as 38 profissões mais valorizadas do setor.  Quanto maior a qualificação e a experiência, melhor o salário

Por: Altair Santos

Das profissões ligadas à construção civil, 38 terminaram 2013 com elevado potencial de remuneração e devem seguir neste ritmo também este ano. Em comum, todas as especialidades exigem alta qualificação. Para quem preenche os requisitos, revela a consultoria Michael Page, os salários, dependendo da região do país, podem variar até 96%. É o caso do cargo de superintendente de operações de shopping, cujo menor salário pago é de R$ 20 mil e o maior chega a R$ 39 mil. Um outro cargo bem valorizado é o de diretor de obras, com remuneração variando de R$ 20 mil a R$ 33 mil, nas empresas de pequeno e médio portes, e de R$ 27 mil a R$ 42 mil nas grandes companhias do setor.

Demanda por profissionais da construção civil seguirá em alta em 2014

Segundo Paulo Pontes, diretor-sênior do PageGroup no Brasil, o objetivo do estudo é revelar para as empresas de grande, médio e pequeno portes a melhor informação sobre remuneração do país. Com isso, a consultoria entende que permite às corporações avaliar a atual estrutura de salários para cargos de gestão, além de permitir organizar uma política de retenção, assim como atrair talentos, oferecendo salários em acordo com o mercado. “Durante os últimos doze meses foram mais de 75 mil entrevistas realizadas em nossos dez escritórios no Brasil, o que nos credenciou a produzir esse conteúdo relevante sobre carreira”, disse Pontes.

O mapeamento da Michael Page foi realizado com base nas faixas salariais praticadas nas seguintes regiões do país: São Paulo capital, interior de São Paulo, Rio de Janeiro, regiões Sul, Norte e Nordeste, Minas Gerais e região Centro-Oeste. No segmento “property & construction”, o estudo fez a seguinte avaliação: “Ainda que as mais otimistas expectativas para o setor de construção em 2013 não tenham sido plenamente alcançadas, o segmento continua muito movimentado no que se refere à demanda por profissionais. As promessas de investimento pelo governo brasileiro e o ano eleitoral de 2014 tendem a aumentar o volume de obras e, consequentemente, a procura por especialistas da área.”

Ainda de acordo com o relatório da consultoria, a tendência é que os profissionais experientes do setor da construção civil, que atualmente já são escassos para diversas especialidades, tornem-se ainda mais valorizados. “Desta maneira, a mobilização das equipes para os empreendimentos, tanto em termos quantitativos quanto em termos qualitativos, deverá se tornar ainda mais crítica para as empresas e exigirá uma antecipação das ações e uma coordenação mais profissional do processo de recrutamento e seleção. Além disso, provavelmente ainda se manterá um viés de aumento do pacote de remuneração dos
especialistas deste setor, trazendo impactos para a rentabilidade dos projetos”, conclui o estudo.
Confira aqui as 38 profissões mais valorizadas da construção civil

Entrevistado
Segundo Paulo Pontes, diretor-sênior do PageGroup no Brasil (via assessoria de imprensa)
Contato: http://www.michaelpage.com.br/votre-avis.html

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: