Principal norma de treinamento ainda encontra resistência das empresas

Principal norma de treinamento ainda encontra resistência das empresas

Principal norma de treinamento ainda encontra resistência das empresas 150 150 Cimento Itambé

A NBR ISO 10015 completa dez anos e foi criada para qualificar a gestão com base no investimento em pessoas. Quem a adotou, hoje comemora com produtividade e eficiência

Por: Altair Santos

Se a década que passou pertenceu à China, o país deve muito à ISO 10015:2001. A norma que define diretrizes para treinamento tornou-se fundamental para que a indústria chinesa se tornasse competitiva e agregasse qualidade aos seus produtos. Hoje, quase todas as grandes companhias da maior nação do mundo já adotam a ISO 10015, que foi lançada há dez anos, mas no Brasil ainda encontra resistência das empresas.

Benedito Milioni: preceitos da norma ISO 10015 precisam ser entendidos como investimento.

A norma nasceu como um desdobramento da família NBR ISO 9000, que enfatiza a importância da gerência de recursos humanos e a necessidade de treinamento adequado. Com a ISO 10015:2001, os instrumentos para gerir os processos de T&D (Treinamento e Desenvolvimento) ficaram mais detalhados. “Ela permite a alavancagem do desempenho por via da supressão dos gaps (lacunas) de competências, ou seja, reduz ou anula a diferença entre o que o cargo contempla e exige, em termos de padrões de desempenho, e a efetiva performance de quem o ocupa”, explica o diretor-técnico da ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento), Benedito Milioni.

Como não tem obrigatoriedade de certificação e nem é exigido no Brasil como diferencial competitivo em contratos ou concorrências, a ISO 10015:2001 teve pouca adesão no país. Estima-se que mais de 50% das companhias nacionais ainda desconheçam a norma, apesar de seus 10 anos. “Ela foi pouco ou nada absorvida pelas nossas empresas”, lamenta Milioni, avaliando que quem aderiu à norma hoje faz grande diferença no mercado. “São corporações em sintonia com a modernidade na área de gestão de pessoas e que assumem um papel estratégico da maior importância dentro do país, no qual a educação é a única saída para seus problemas atuais e futuros”, completa.

Milioni ressalta ainda que empresas com colaboradores mal treinados arriscam-se a cair num círculo vicioso cruel, que é: baixa produtividade e rentabilidade, resultando em empregados mal remunerados, com baixo desempenho e que geram mais perdas e mais despesas. “Essas empresas precisam entender a diferença entre custo, despesa e investimento, bem como as perspectivas da relação custo/benefício, de valor agregado e de retorno dos investimentos na esfera da educação empresarial. Só assim entenderão que o melhor investimento a ser feito é no talento humano”, enfatiza o diretor-técnico da ABTD.

Ideal para a construção civil
Diante do atual momento da construção civil brasileira, que sente a carência de mão de obra qualificada, Benedito Milioni avalia que o setor deveria investir na 10015:2001 para obter ganhos de produção e reduzir acidentes de trabalho e a alta rotatividade nos canteiros de obras. “A NBR 10015:2001 é uma poderosa ferramenta para o restabelecimento da cientificidade nos processos industriais”, afirma, destacando que a norma não pode, no entanto, ser aplicada com amadorismo, empirismo ou apenas para se atingir a meta de homens/hora/treinamento ou para satisfazer as exigências da auditoria de qualidade. “Isso gera uma combinação perversa: dinheiro jogado fora, insatisfação dos que passam pelas ações de treinamento e perda de credibilidade dos gestores e técnicos da área de Treinamento e Desenvolvimento”, alerta.

Fundamentos básicos da ISO 10015:
Definir necessidades de treinamento
Projetar e planejar treinamento
Executar treinamento
Avaliar resultados do treinamento

Objetivos da ISO 10015:

Aumentar a produtividade, as vendas, o lucro e o retorno do investimento
Reduzir custos, desperdícios, acidentes e rotatividade do pessoal
Melhorar continuamente a gestão da qualidade

Estágios da aplicação da ISO 10015

Entrevistado
Benedito Milioni, diretor-técnico da ABTD (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento)
Currículo

– Tem 38 anos de carreira, em cargos executivos de Recursos Humanos e Vendas e Marketing
– É professor universitário nas cadeiras de Teoria Geral da Administração, Gestão Estratégica e Recursos Humanos. Atualmente, é professor especialista em cursos MBA.
– Palestrante e expositor em eventos nacionais e internacionais. Professor convidado de diversas entidades públicas e privadas de países íbero e latino-americanos.
– Articulista em jornais e revistas.
– Diretor Técnico da ABTD-Nacional (Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento)
Coordenador científico e geral do CBTD (Congresso Brasileiro de Treinamento e Desenvolvimento) em 2001, 2002 e 2003
Contato: miriam@milioni.com.br (assessoria de imprensa)

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil