Prédios aderem às varandas pré-fabricadas de concreto

Além da qualidade e do aumento da produtividade, elementos se tornam cada vez mais competitivos economicamente

Prédios aderem às varandas pré-fabricadas de concreto

Prédios aderem às varandas pré-fabricadas de concreto 1024 622 Cimento Itambé
varanda pre-fabricada

Modelo de varanda pré-fabricada de concreto: sistema requer especificação em projeto, no caso de edificações em obra. Crédito: Divulgação

As varandas ou sacadas pré-fabricadas de concreto surgiram como uma solução para retrofit de edifícios antigos. No Brasil, os artefatos já foram usados em reformas de prédios construídos entre os anos 1940 e 1960, tanto na cidade do Rio de Janeiro-RJ quanto na de São Paulo-SP. Agora, esses elementos pré-fabricados começam a ser incluídos em projetos de edificações novas. Motivo: viabilidade econômica, produtividade e qualidade.

Quanto maior a escala, mais a viabilidade econômica e a produtividade melhoram. Projetos de edifícios que têm acima de 50 unidades são os que mais se beneficiam deste tipo de solução industrializada à base de concreto.  O motivo é que a repetição das peças acaba equiparando o preço ao do sistema de construção in loco, e que utiliza métodos convencionais. Outro componente importante para a viabilidade econômica está na logística para transportar os elementos.

A Abcic (Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto) alerta que somente para projetos especiais o limite de 200 quilômetros entre o fabricante das peças e a obra pode ser extrapolado. Outro ponto relevante está ligado à qualificação da mão de obra que vai instalar as varandas pré-fabricadas de concreto. A execução exige cuidados com o escoramento e o nivelamento dos elementos junto às lajes em balanço.

Economicamente, instalar varanda pré-fabricada em projeto de retrofit tem custo elevado

Na Europa, varandas pré-fabricadas em prédios residenciais viram tendência arquitetônica. Crédito: Divulgação/Patio Drummond

Na Europa, varandas pré-fabricadas em prédios residenciais viram tendência arquitetônica. Crédito: Divulgação/Patio Drummond

Os projetos hidráulicos e elétricos da edificação também precisam ser adaptados na área em que a varanda pré-fabricada será instalada. Para edificações novas, os elementos só poderão ser acoplados quando o concreto estrutural atingir a resistência definida em projeto. O mesmo vale para as escadas pré-fabricadas, seja em edifícios habitacionais, corporativos ou edifícios-garagem.

Para edifícios que passam por processo de retrofit, a instalação de varandas e sacadas pré-fabricadas de concreto só é possível se houver um rigoroso estudo do projeto estrutural, a fim de que se certifique se o prédio consegue suportar a carga adicional. Há ainda questões burocráticas que envolvem o condomínio e a prefeitura do município onde a obra será executada. Entre elas, se a edificação pode agregar área construída em relação ao potencial do terreno.

Economicamente, instalar varanda pré-fabricada em projeto de retrofit tem custo elevado, se comparado ao uso da mesma tecnologia em uma edificação ainda em construção. Mesmo assim, a solução tem sido opção para grupos hoteleiros que adquirem prédios antigos, exceto aqueles tombados como patrimônio histórico e que não permitem alterações arquitetônicas em suas fachadas.

Entrevistado
Reportagem com base em artigos técnicos divulgados pela AECweb e Abcic (Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto), além de publicações na revista Industrializar em Concreto, também da Abcic

Contato
abcic@abcic.org.br
contato@email.aecweb.com.br

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no Massa Cinzenta e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil