Pavimento em concreto vira atração na Brazil Road Expo

Pavimento em concreto vira atração na Brazil Road Expo

Pavimento em concreto vira atração na Brazil Road Expo 150 150 Cimento Itambé

Conferências jogaram luz sobre construção de estradas e ferrovias à base de cimento Portland e reuniram professores doutores no assunto

Por: Altair Santos

Trem de Alta Velocidade na Alemanha: trilhos sobre estrutura rígida de concreto é modelo para o Brasil.

As características geológicas do terreno onde se pretende construir o primeiro trem de alta velocidade do Brasil, ligando as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, passando por Campinas, recomendam que os trilhos por onde vão trafegar os veículos sejam construídos sobre uma estrutura rígida de concreto, em vez de dormentes assentados em lastros de pedra britada. Esse e outros conceitos nortearam uma das conferências que mais atraiu público no Brazil Road Expo 2011 – evento que aconteceu no começo de abril, em São Paulo.

Os debates sobre pavimento à base de cimento Portland foram conduzidos por professores doutores em engenharia, entre eles José Tadeu Balbo, vice-presidente da ISCP (Sociedade Internacional de Pavimento em Concreto); Paulo Fernando Araújo da Silva, Consultor Internacional em Infraestrutura, ligado à ABECE (Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural), e Antonio Domingues de Figueiredo, professor da Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo).

Balbo defendeu que todo o pavimento rígido deve ter como princípios básicos a alta qualidade e a durabilidade. “Ou ele dura muito tempo ou é mau exemplo, pois não terá sustentabilidade”, disse. O palestrante também alertou que as peculiaridades locais são sempre importantes para que o produto final em pavimento rígido atinja seu objetivo. “É um conjunto de ações que precisa ser levado em conta, e que tem de estar engajado com as peculiaridades do local. Aí, incluem-se o projeto, as normas, as especificações do material e os processos construtivos”, disse.

Paulo Fernando Araújo da Silva: "Rodoanel Sul, em São Paulo, e BR-101 Nordeste são cases de sucesso em pavimento rígido no Brasil."

Seguindo a mesma linha de raciocínio, o professor Paulo Fernando Araújo da Silva citou o que, para ele, são os principais cases desucesso de pavimento rígido no Brasil. “O Rodoanel Sul e a duplicação da BR-101 Nordeste são bons exemplo”, disse, revelando o segredo destas obras. “Houve controle de qualidade no projeto e foram atendidas as especificações do cimento, pois cada região exige um tipo de cimento que se adapte às peculiaridades do local, como as questões meteorológicas, por exemplo”, disse.

A questão do controle de qualidade também foi bastante defendida pelo palestrante Antônio Domingues de Figueiredo. “É fundamental seguir todos os parâmetros para que o resultado final de uma obra de infraestrutura traga o resultado que a sociedade espera dela. Senão, será o dinheiro do contribuinte que estará sendo desrespeitado”, afirmou.

Os professores doutores citaram os Estados Unidos e Alemanha como exemplos a serem seguidos pelo Brasil. “Acho que temos muito a aprender sobre pavimento em concreto. Na Califórnia (EUA), por exemplo, eles criaram uma tradição em pavimentação rígida, assim como no Texas. Já na Alemanha, as rodovias em concreto vêm se propagando no país desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Hoje, ele já chega aos trens de alta velocidade, que já estão usando o pavimento continuamente armado para os TAVs alemães”, citou José Tadeu Balbo, que palestrou sobre conceitos e tendências internacionais.

Brazil Road Expo 2011

Em três dias de evento, a primeira edição da Brazil Road Expo reuniu 170 expositores nacionais e internacionais e foi visitada por 8 mil profissionais especializados do segmento. De acordo com o diretor da Brazil Road Expo, o engenheiro Guilherme Ramos, as expectativas da feira foram superadas. “Lançamos um evento único, com objetivo de fomentar o setor de infraestrutura e possibilitar a melhoria de todo o sistema viário e rodoviário nacional”, esclareceu.

José Tadeu Balbo: “Temos muito a aprender sobre pavimento em concreto.”

Entrevistados
Professor doutor José Tadeu Balbo, vice-presidente da Sociedade Internacional de Pavimento de Concreto
Currículo

– Graduado em Engenharia Civil (1984), mestrado em Engenharia de Transportes (1990) e doutorado em Engenharia (1993), todos pela Universidade de São Paulo com programa de doutorado sanduíche da CAPES na Escola Politécnica Federal de Zurique, Suíça (1992-1993)
– É também o primeiro Livre Docente em Projeto e Construção de Pavimentos pela USP em 1999
– Atualmente é professor associado da Universidade de São Paulo, membro do Comitê de Pavimentos Rígidos (AFD50) do Transportation Research Board – National Academy of Sciences, revisor do International Journal of Pavement Engineering e do Journal of the Transportation Research Board, editor do International Journal of Pavement Engineering e do International Journal of Pavement Research and Technology
– Atual vice-presidente da International Society for Concrete Pavements (ISCP)
Contato: vice-president@concretepavements.org
 

Professor doutor Paulo Fernando Araújo da Silva, consultor internacional em infraestrutura

Currículo

– Engenheiro Civil, Mestre em Engenharia de Construção Civil pela POLI / USP (SP)
– Doutor em Infraestrutura pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA)
– Professor de Cursos de Pós-Graduação de Patologia e Recuperação do Instituto Brasileiro de Perícias (IBAPE); MBA em Gerenciamento de Projetos – FGV (em andamento)
– Consultor Internacional em Infraestrutura
– Autor de 3 livros técnicos pela PINI: ”Manual de Patologia e Manutenção de Pavimentos”, ”Concreto Projetado para Túneis” e ”Durabilidade das Estruturas de Concreto em Atmosfera Urbana”
– Membro atuante na ABNT, com diversos Artigos Técnicos publicados em Revistas e Anais de congresso
– Diretor da Concremat Engenharia
Contato: abce@abceconsultoria.org.br

Antônio Domingues de Figueiredo: “Obra de infraestrutura tem de trazer o resultado que a sociedade espera dela.”

Professor doutor Antonio Domingues de Figueiredo, professor da Escola Politécnica da USP
Currículo

– Engenheiro civil formado em 1987, possui mestrado (1992) e doutorado (1997) em Engenharia Civil pela Universidade de São Paulo
– Professor da Escola Politécnica da USP desde 1989
– Colaborador da International Tunnelling Association e Coordenador Técnico do Comitê Brasileiro de Túneis da ABMS
– Atua, principalmente, na área de Materiais e Componentes de Construção, nos temas relacionados ao concreto com fibras, concreto projetado e túneis. Tem recorrente trabalho na área de normalização junto à ABNT nas áreas de concreto projetado, fibras para concreto e tubos de concreto para obras de saneamento
– Autor de mais de 100 publicações incluindo artigos publicados em periódicos, congressos nacionais e internacionais, livro e capítulos de livro
Contato: antonio.figueiredo@poli.usp.br

Créditos fotos: Cimento Itambé/Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil