Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Parede dupla de concreto potencializa industrialização

Gestão, Industrialização, Mercado da Construção 17 de abril de 2012

Sistema é recente no Brasil, e ganha espaço em projetos de galpões industriais e shopping centers por causa da rapidez na montagem

Por: Altair Santos

Criado na década de 1990, na Alemanha, o sistema de paredes duplas de concreto começa a tornar-se competitivo no Brasil para construções de galpões industriais e shopping centers. No país, a tecnologia chegou apenas em 2009 e em três anos experimenta uma demanda crescente. “A nossa fábrica está com produção totalmente comprometida até julho de 2012, o que demonstra o crescimento do volume de obras”, relata Fábio Marcello Casagrande, diretor da Sudeste Pré-Fabricados, com sede em Americana, no interior de São Paulo.

Parede dupla de concreto: tecnologia customiza aberturas para portas, janelas e sistemas elétricos e hidráulicos.

O sistema consiste na montagem de módulos, que chegam prontos ao local da obra. As paredes, com dimensões que podem atingir 13,30 m de largura x 3,20 m de altura e 37 cm de espessura, são içadas por máquinas e, em seguida, recebem preenchimento interno com concreto ou outro material, como concreto celular, poliuretano expandido ou isopor, dependendo da função do projeto. Isso garante ao sistema de vedação alto isolamento termoacústico.

Além disso, as paredes duplas de concreto dependem de menos operários no canteiro. Estima-se que, comparado com o sistema tijolo a tijolo, a tecnologia economiza até 50% de mão de obra. Consequentemente, também há redução de custos, proporcionada pelo menor tempo de execução. O serviço chega a ser 30% mais rápido que as técnicas convencionais. O sistema apresenta ainda a possibilidade de customizar o projeto, o que possibilita prever aberturas para portas, janelas e sistemas elétricos e hidráulicos.

Em prol da sustentabilidade, o processo tem desperdício zero de material e garante a reutilização das placas. As paredes são desenhadas em uma forma por um sistema a laser, que permite a projeção de peças (paredes ou lajes) 100% personalizadas. A Sudeste consegue produzir 48 placas a cada turno de 8 horas. A tecnologia foi importada da Áustria, onde as paredes duplas servem não apenas para obras industriais, mas também para prédios residenciais de até 15 pavimentos.

Estima-se que, comparado com o sistema tijolo a tijolo, a tecnologia de parede dupla de concreto economiza até 50% de mão de obra. O sistema também oferece ganhos de coeficiente ecológico, por não gerar resíduo. “Por serem pré-fabricadas, as paredes duplas não produzem entulho de material”, diz Casagrande, explicando que a pintura pode ser aplicada sem a necessidade de acabamento com argamassa ou massa fina. “Durante a produção, o concreto recebe um tratamento especial que diminui a porosidade das paredes, deixando-as extremamente lisas”, explica.

A tecnologia de parede dupla de concreto tem sido apoiada e difundida pela Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (ABCIC). A Sudeste, por exemplo, tem o selo de excelência nível 3 da ABCIC e já foi convidada a expor o sistema em eventos como o Concrete Show 2011 e a International Concrete Conference & Exhibition (ICCX) que aconteceu em março de 2012 em Florianópolis. Fábio Marcello Casagrande, alerta, no entanto, que o Brasil ainda investe muito pouco em inovações na construção civil, na área de pré-fabricados. “Talvez, com a vinda de empresas europeias focadas em automação, e com a ida de empresários brasileiros a feiras no exterior, essa situação mude nos próximos anos. Tenho noticias de investimentos em fábricas para aumento de produção, mas não há investimento em máquinas e softwares para a automação de produção, aumento de produtividade, busca da qualidade e redução de custos”, avalia.

Entrevistado
Fábio Marcello Casagrande, diretor da Sudeste Pré-Fabricados
Currículo
Graduado em engenharia civil e, em 2007, após pesquisas na Europa, trouxe para o Brasil o sistema de parede dupla de concreto
Contato:  http://www.sudeste.ind.br / fabio@sudeste.ind.br / sudeste@sudeste.ind.br

Créditos foto: Divulgação / Sudeste

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: