Globalizados, novos termos definem perfil das empresas

simonecapa

Globalizados, novos termos definem perfil das empresas

Globalizados, novos termos definem perfil das empresas 417 327 Cimento Itambé

Nomenclatura importada dos Estados Unidos ajuda a mudar conceitos de gestão organizacional e de metodologias de recursos humanos no Brasil

Por: Altair Santos

Sua empresa recorre a especialistas em headhunting? Busca consultoria em outplacement? Ao contratar, pratica assessment? Há estímulo para que os colaboradores busquem coaching? E mentoring, sua empresa tem? O que dizer de job rotation e interim management? Já houve um turnaround em sua empresa? Existe o interesse em formar team building na corporação? Se alguns destes termos já foi praticado pela companhia, é sinal de que ela está sintonizada com as tendências mundiais. Caso contrário, é possível que precise rever conceitos sobre gestão organizacional, principalmente na área de recursos humanos (RH).

Simone Turra: empresas nacionais já assimilaram essas nomenclaturas

Simone Turra: empresas nacionais já assimilaram essas nomenclaturas

Segundo a especialista em orientação de carreiras, Simone Turra, essa profusão de conceitos em inglês no ambiente corporativo se deve ao fato de as teorias de administração, em grande parte, nascerem nos Estados Unidos. Além disso, o inglês, globalmente, é a língua dos negócios. “Os termos em inglês utilizados na área de RH se dão pelo fato de que muitas das políticas, métodos ou serviços de recursos humanos são oriundos destes mesmos mercados internacionais, principalmente o norte-americano, que sempre se mostrou de vanguarda neste segmento”, diz.

Hoje, esses termos não se limitam às empresas multinacionais. Já existe um bom número de companhias nacionais que também passaram a utilizá-los. “O trânsito de pessoas de RH entre empresas nacionais e multinacionais equilibrou o conhecimento das tendências internacionais de RH, fazendo com que as empresas nacionais assimilassem as nomenclaturas. Além disso, alguns serviços de RH foram literalmente importados. Não existiam como conhecimento em nosso mercado e, consequentemente, não tinham tradução adequada, o que fez com que a expressão em inglês permanecesse e a nacionalização de nomenclatura não ocorresse”, explica Simone Turra.

Atenção, candidatos
Além do RH das corporações, muitos destes termos são utilizados também por empresas de recrutamento, principalmente pelas que selecionam cargos de liderança. “Tal serviço é baseado em uma estrutura vinda dos Estados Unidos, chamada de executive search. Este trabalho tem como principal agente o headhunter (caçador de talentos) que se torna especialista em fazer networking (relacionamentos profissionais) e acompanhar a carreira dos executivos, podendo intermediar encontros entre profissionais e empresas”, afirma a especialista, alertando ser importante que candidatos a vagas em empresas com RH globalizado conheçam essa nomenclatura. “Se não os termos usados pela área de RH, pelo menos os termos utilizados na área em que atua”, destaca.

Ainda de acordo com Simone Turra, essas nomenclaturas e conceitos melhoram a performance organizacional das empresas, além de garantir crescimento profissional e alinhamento de carreira aos colaboradores. Para ela, qualquer corporação que queira garantir diferencial competitivo deve investir em seu RH como área, de forma que os colaboradores desenvolvam as competências necessárias para que a empresa se destaque e consiga concorrer no mundo globalizado.

Veja o que significam alguns dos termos mais usados nas empresas com RH globalizado:

Headhunting
É o processo em que uma empresa especializada recruta e seleciona no mercado de trabalho um profissional com o perfil definido para um determinado cargo. Atenção: essa definição é especificada pela empresa interessada em preencher uma vaga. Diferente do que muitos pensam, o Headhunter – consultor especializado ou “caça- talentos”- não trabalha para o candidato, buscando vagas para ele. É o contrário, ele trabalha para as empresas que querem acertar em cheio nos profissionais mais adequados para as suas necessidades. O processo de Headhunting costuma ser chamado de executive search quando a busca se refere aos níveis de gestão de uma empresa.

Outplacement
Assim que um profissional é desligado de uma empresa, consultorias de outplacement o acolhem, desde o momento da sua demissão, para orientá-lo sobre a melhor maneira de recomeçar, aconselhando e auxiliando no redirecionamento da sua carreira como executivo, empresário ou mesmo para aposentadoria. Outplacement e recolocação no mercado de trabalho, no Brasil, são geralmente serviços semelhantes, mas no caso do outplacement quem remunera a prestadora de serviço é a empresa que demitiu o funcionário e, no caso da recolocação, quem remunera a prestadora costuma ser o próprio profissional.

Assessment
Assessment significa avaliação de perfil profissional. É um processo utilizado cada vez mais nas organizações que identifica e avalia as competências e potenciais dos colaboradores, por meio de testes e técnicas próprias. A condução geralmente é feita por profissionais especializados e certificados, sejam eles da mesma empresa ou de empresas contratadas. Esse processo estruturado e controlado pode ajudar no plano de carreira de um profissional, que analisa quais competências já estão mais desenvolvidas e quais competências ainda podem ser aprimoradas.

Coaching, Coach e Coachee
É o processo em que um profissional foca em desenvolver e potencializar as competências que mais lhe faltam ou nas quais ele tem dificuldade, como, por exemplo, paciência, pró-atividade, flexibilidade. Por isso, coach é o profissional que aplica o coaching. Ele deve ser treinado e qualificado para isso. Existem diversos cursos de formação extremamente respeitados pelo mundo, que emitem certificados e garantem a qualidade do processo. Já coachee é o profissional que recebe o coaching.

Mentoring
Geralmente é traduzido como tutoria, mentoria ou apadrinhamento. É um método profissional de desenvolvimento. Um mentor – normalmente alguém com mais experiência na mesma área de atuação – passa conhecimento, dicas e conselhos com o objetivo de orientar o profissional menos experiente.

PNL (Programação Neurolinguística)
É um processo educacional sobre como usar melhor o nosso cérebro, ou seja, nos ajuda a captar e registrar informações, que vão desde estruturação e processamento destas informações, através dos cinco sentidos. A partir disso, o cérebro mantém e produz padrões de pensamentos, comportamentais, emocionais e comunicacionais apresentados de forma consciente ou inconsciente em nosso dia a dia.

Job Rotation
Movimentação onde o profissional, para aprender mais sobre um negócio, passa por diversas áreas de uma empresa. Desta maneira, passa a entender não somente os processos e rotinas como também os diferentes pontos de vista e interfaces. O Job Rotation geralmente é uma movimentação lateral, não implicando necessariamente em promoções.

Interim Management
É uma solução na qual executivos e gestores assumem, por um período de tempo limitado (interinos), o controle executivo de um ou vários departamentos de uma organização. Podem ser tarefas gerenciais típicas ou a gestão de situações para as quais as empresas não têm recursos humanos especializados. Geralmente, o gestor interino (Interim Manager) retira-se da empresa ou retorna às suas funções normais, assim que o período e o objetivo proposto forem cumpridos.

Team Building
Conjunto de atividades que reforça, desenvolve o conhecimento e cria laços relacionais mais profundos entre membros de uma empresa. O objetivo dessa prática é alcançar melhores níveis de produtividade e satisfação das equipes no desempenho de suas funções. O team building é cada vez mais importante no desenvolvimento de equipes de alta performance.

Turnaround
Frequentemente traduzido como “virar o jogo” ou “dar a volta”, é um conceito de gestão estratégica utilizado para alterar o rumo de uma empresa que, muitas vezes, está estagnada ou em declínio. Trata-se, portanto, de um redirecionamento estratégico e operacional. Costuma ser um processo complexo e arriscado, uma vez que pode exigir soluções incomuns e radicais, levando em conta as condições financeiras, culturais e tecnológicas de uma organização, além do contexto em que está inserida.

Entrevistada
Psicóloga Simone Turra, com MBA em gestão comercial e especializada em orientação de carreira. Atualmente, dirige a 4 Search
Contatos
simone@4search.com.br
www.4search.com.br

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil