Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Nova sede do Crea-PR será referência em sustentabilidade

Construção Sustentável, Obras Inovadoras 6 de julho de 2009

Prédio com 9 pavimentos e sistema construtivo pré-fabricado terá projeto escolhido em concurso público, que reuniu 125 trabalhos

Fundado há 75 anos, o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (Crea-PR) quer tirar o conceito de prédio sustentável do abstrato. Um amplo concurso público, que contou com a participação de 125 trabalhos, elegeu o projeto da nova sede do Crea-PR, que deverá ser inaugurada em 2010, no bairro Mercês, em Curitiba, em uma área de 2,6 mil metros quadrados.

A obra, segundo o arquiteto Jeferson Dantas Navolar, coordenador do concurso e presidente do IAB-PR (Instituto de Arquitetura do Brasil, departamento Paraná), promete ser referência em construção sustentável no Brasil. Segundo ele, por não existir no país uma legislação específica sobre o tema, hoje qualquer obra invoca o rótulo de “sustentável”. “Não possuímos uma legislação integrada que possibilite uma certificação. Por isso, a definição de prédio sustentável no Brasil ainda é abstrata”, afirma.

Para romper esse paradigma, o concurso do Crea-PR foi rigoroso. Venceu o projeto do arquiteto gaúcho Jean Grivot Avancini. Ao todo participaram trabalhos de 14 estados
brasileiros. “O concurso teve um nível técnico elevado, pouco usual, principalmente no que diz respeito à sustentabilidade”, explica Jeferson Navolar, que revelou o lema que norteou o concurso: “Durabilidade com baixo custo ambiental.”

O novo prédio do Crea-PR terá 9 pavimentos e 1 sub-solo, atendendo a legislação urbanística de Curitiba. Foram previstos reuso de água, retenção de água pluvial e privilégio à iluminação natural na maior parte dos ambientes. O projeto destaca os seguintes itens:
* Ocupação dos vazios urbanos, evitando-se novos loteamentos
* Baixo consumo energético durante a construção e também durante o uso da edificação
* Baixo consumo de água durante a construção e reaproveitamento de águas, com tratamento adequado para cada uso
* Baixa produção de resíduos durante a construção
* Opção por materiais e insumos “ambientalmente corretos” (baixa emissão de carbono, extrativismo responsável e qualificação social dos agentes envolvidos)

O sistema construtivo escolhido para a obra foi o pré-fabricado. “A pré-fabricação atende às condições do sítio urbano e do terreno, sem espaço para grandes canteiros de obras”, explica o presidente do IAB-PR. O valor dá obra não é revelado pelo Crea-PR, mas o investimento será maior do que o que seria feito em uma obra normal. “É preciso ressaltar que o que é impagável é o compromisso com o meio ambiente”, disse Navolar.

Antes de a obra começar, terão de ser cumpridas as seguintes etapas: contratação do projeto executivo de arquitetura e dos executivos complementares, como estrutura e instalações. Enquanto o prédio estiver em construção, o Crea-PR pretende se adaptar à família das ISO para que seus funcionários saibam utilizar o prédio. “Ele só vai se tornar efetivamente sustentável se quem for habitá-lo estiver integrado com o conceito”, afirma o arquiteto Jeferson Dantas Navolar, que garante: “A futura construção será a mais completa sobre o enfoque da sustentabilidade, seja no Brasil ou em Curitiba.”

Entrevistado: Jeferson Dantas Navolar: comunicacao@crea-pr.org.br

Texto complementar

Vencedores do concurso para a nova sede do Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia apresentou no dia 8 de junho os vencedores do concurso público nacional de arquitetura para a nova sede do Crea-PR. O vencedor é arquiteto portoalegrense Jean Grivot Avancini. O projeto foi escolhido como o que melhor atende às exigências do edital e à necessidade do conselho pela comissão julgadora do concurso. “Pela qualidade do projeto vencedor, principalmente de atendimento às práticas de sustentabilidade, é possível afirmar que a nova sede do Crea-PR será uma referência nesta questão no Paraná”, afirma o engenheiro agrônomo e presidente do Crea-PR, Álvaro Cabrini Jr.

Avancini lembra que o mérito não é só dele. “Meus sócios Carolina Flach Souza Pinto e Lucas Rocha Obino Martins também são responsáveis pela conquista”, afirma. Eles receberam prêmio de R$ 46 mil e assinaram um contrato de R$ 240 mil com o Crea-PR.

Do projeto, Avancini conta que prevê a otimização de recursos e eficiência para a edificação. “A escolha de uma técnica construtiva adequada ao terreno e o emprego de processos industrializados de construção com estruturas leves, desmontáveis e recicláveis em sua maioria, gerando um prédio modulado, o que garante um processo ágil e eficiente de construção”, conta.

O concurso foi promovido pelo Crea-PR e organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil, departamento do Paraná (IAB-PR), com parceria da Prefeitura Municipal de Curitiba e contou com a participação de 125 profissionais de todo o país.

Outros vencedores

Em segundo lugar ficou o arquiteto Marcos Jobim, de Florianópolis. Ele recebeu prêmio de R$ 23 mil. Já o terceiro colocado é Nonato Veloso, de Brasília, que recebeu R$ 11,5 mil. O quarto colocado também é de Brasília, Paulo Henrique Paranhos de Paula e Silva, que recebeu R$ 5,7 mil. Em quinto lugar ficou Antonio João Malicia Filho, de São Paulo, com premiação de R$ 2,8 mil.

Mais dois projetos receberam menção honrosa. São eles de Julio Luiz Vieira, de São Paulo, e de Alvaro Puntoni, também de São Paulo.

Jornalista responsável – Altair Santos MTB 2330 – Tempestade Comunicação



Tags:
Leia também: