Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Nova norma de acústica melhora cinemas e teatros

Área Técnica, Normas 17 de setembro de 2015

Outros ambientes construídos que se beneficiam da ABNT NBR 10152 são hospitais, shopping centers, aeroportos e terminais rodoviários e ferroviários

Por: Altair Santos

O texto revisado da ABNT NBR 10152 – Acústica – Níveis de Pressão Sonora em Ambientes Internos e Edificações – esteve em consulta pública até 14 de agosto de 2015. Na reta final para ser publicada, a expectativa é de que até o final de 2015 a norma entre em vigor, influenciando principalmente os projetos arquitetônicos de salas de concerto, cinema e teatro.

Krisdany Vinícius Cavalcante, coordenador da revisão da norma: ABNT NBR 10152 ajuda a Norma de Desempenho

Krisdany Vinícius Cavalcante, coordenador da revisão da norma: ABNT NBR 10152 ajuda a Norma de Desempenho

Criada em 1987, e revisada em 1992, a ABNT NBR 10152 estava sensivelmente desatualizada. Para ter ideia, estabelecia parâmetros acústicos para salas de datilografia – equipamentos que hoje só existem em museus. Mas o foco principal da norma atualizada é dar padrão internacional a ambientes onde a acústica é primordial.

Também será primordial para projetos arquitetônicos de clínicas e hospitais, shopping centers, aeroportos e terminais rodoviários e ferroviários. Os detalhes da norma são relatados aqui pelo engenheiro Krisdany Vinícius Cavalcante, que coordena a comissão de estudos de desempenho acústico de edificações da ABNT. Confira o que muda na NBR 10152:

A ABNT NBR 10152 – Acústica – Níveis de Pressão Sonora em Ambientes Internos e Edificações – passa por processo de revisão. Quais os pontos em que ela mais sofreu aperfeiçoamento?
A ABNT NBR 10152 em sua versão vigente, é de 1987. De lá para cá, foram muitas as evoluções tecnológicas e também conceituais e de hábitos. Assim, além da alteração de conteúdo, houve também necessidade de alteração do título da norma, que atualmente é “Níveis de ruído para conforto acústico”. O termo “Nível de ruído” é tecnicamente equivocado. O novo título proposto está harmonizado com a norma ABNT NBR 16313:2014 Acústica – Terminologia. Além disso, a versão vigente não descreve como executar as medições. Ela apenas apresenta a tabela de valores em Lp e NC para comparação dos resultados. Já o projeto de revisão contempla o procedimento de medição e detalhamento quanto à instrumentação a ser utilizada.

A norma revisada tende a influenciar nos ambientes construídos?
A adoção de normas técnicas se dá voluntariamente. Nosso desejo é que os projetistas e construtores passem a adotá-la. Os usuários e empreendedores também podem fazê-lo ao exigir em contrato o atendimento às normas. No caso particular da ABNT NBR 10152, sua aplicação compulsória está prevista apenas na NR-17 – Ergonomia do Ministério do Trabalho e Emprego, e na Resolução CONAMA 01 de 1990.

Os projetos arquitetônicos de salas de concerto, cinemas e teatros seriam as obras mais influenciadas pela norma?
Além dos ambientes citados, este projeto de revisão também contempla clínicas e hospitais, shopping centers, aeroportos e terminais rodoviários e ferroviários. Favorece ainda edifícios residenciais, de escritórios e escolas, assim como hotéis.

A Norma de Desempenho tem como um de seus principais valores o desempenho acústico. Como a ABNT NBR 10152 pode ajudar a ABNT 15575 a atingir suas metas em ambientes construídos?
A ABNT NBR 15575, conhecida como Norma de Desempenho de Edificações, na verdade tem como título “Edificações habitacionais – Desempenho” e se limita a esta classe de edifícios. É importante também destacar que ela não faz qualquer referência à ABNT NBR 10152. São duas normas técnicas com objetivos bem diferentes, mas que podem ser aplicadas conjuntamente, se assim o usuário das normas o desejar, já que não são conflitantes.

A norma tem alguma orientação para construções em que o concreto prevalece?
A ABNT NBR 10152 não aborda sobre a tipologia construtiva da edificação. Ela traz método de medição e tabela de critério de avaliação sonora em função do uso do ambiente interno de uma edificação. Assim, cabe ao projetista e ao construtor definirem quais as características construtivas que poderão ser adotadas para que o ambiente construído possa proporcionar, aos seus usuários, os limites de níveis sonoros em função da finalidade de uso que será dada aos ambientes internos de uma edificação.

A norma não era revisada há muito tempo e tinha algumas curiosidades, como definir parâmetros acústicos para salas de datilografia. Por que ela demorou tanto para ser revisada?
Por estar desde 1987 sem alterações, a versão vigente da ABNT NBR 10152 apresenta alguns ambientes que não existem mais, tais como sala de mecanografia e sala de computadores. Em 2000 houve a consulta nacional do 1º projeto de revisão, porém não foi aprovado. Posteriormente, também foram submetidos sem sucesso, o 2º e 3º projeto. Agora em 2014 nossa Comissão deliberou para Consulta Nacional o 4º Projeto. Houve algumas manifestações contrárias, mas a grande maioria favoráveis. A Comissão se reunirá para analisar as manifestações e deliberar pela aprovação ou não desse projeto para publicação.

Após a publicação da norma, é possível que o Brasil passe a ter cinemas, teatros e salas de concerto compatíveis com os melhores espaços existentes fora do país?
Esse é nosso desejo, para isso a ABNT/CEE-196 – Comissão de Estudos Especiais de Acústica – está trabalhando na adoção das Normas ISO 3382 bem como na elaboração de outras que, em conjunto, poderão instrumentalizar os projetistas na elaboração de bons projetos acústicos.

Como ficam as salas já construídas: terão de se adaptar à norma revisada?
Como esclarecido anteriormente, a adoção de normas técnicas é voluntária. No caso particular da ABNT NBR 10152, sua aplicação compulsória está prevista na NR-17 – Ergonomia do Ministério do Trabalho e Emprego e na Resolução CONAMA 01 de 1990. Após a publicação de nova edição da ABNT NBR 10152 caberá a estes organismos de Estado analisar o novo texto e deliberar por continuar referendando ou não.

Quantos profissionais se envolveram na revisão da norma?
Atualmente estão inscritos mais de uma centena de pessoas em nossa comissão. Mas normalmente, por reunião, temos tido a presença de 30 a 40 pessoas. Por entender a importância de se ampliar a participação e as limitações orçamentárias para viagens, desde 2012, quando assumi a coordenação da comissão, temos aceitado os convites e já realizamos reuniões em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas e Brasília. Lembro a todos que estas são reuniões públicas e qualquer cidadão brasileiro pode participar.

Qual a expectativa de data para que a norma entre em vigor?
Nossa comissão se reunirá em outubro para analisar as contribuições da última consulta nacional. Se aprovado, o texto poderá ser publicado ainda em 2015. Se entendermos pela necessidade de uma nova consulta, prevê-se mais 12 a 18 meses para a conclusão de todo o processo.

Entrevistado
Engenheiro eletricista Krisdany Vinícius S. M. Cavalcante, diretor-técnico do dB Laboratório de Acústica e coordenador da comissão de desempenho acústico de edificações da ABNT

Contatos
krisdany@dbacustica.com.br
laboratorio@dbacustica.com.br

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: