Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Nova catedral em Belo Horizonte resgata Niemeyer

Gestão, Inovação, Mercado da Construção, Obras Inovadoras 12 de novembro de 2015

Um dos últimos projetos do arquiteto, que morreu em 2012, está em obras em Belo Horizonte. Construção é fiel aos seus traços e ao concreto

Por: Altair Santos

Quando ficar pronta, a Catedral Cristo Rei será mais do que um símbolo da fé dos mineiros. Em construção desde 2013 em Belo Horizonte-MG, a obra é também herança do legado arquitetônico deixado por Oscar Niemeyer. O projeto da igreja é um dos últimos concebido por ele antes de morrer, em 2012. Fiel aos traços do arquiteto, e consequentemente ao concreto, a catedral é o 17º templo religioso projetado por Niemeyer. Ainda que ateu declarado, a projeção de sua carreira profissional começou com a construção de uma igreja: a capela da Pampulha, nos anos 1940.

Maquete da Catedral Cristo Rei, em BH: projeto original de Niemeyer foi preservado

Maquete da Catedral Cristo Rei, em BH: projeto original de Niemeyer foi preservado

A Catedral Cristo Rei não deixa dúvidas de que o concreto será o elemento principal da obra. A cargo da empreiteira Mendes Júnior, o templo já consumiu 8 mil m³ do material, somente para a etapa das fundações e consolidação dos três pavimentos, além de 600 toneladas de aço. A edificação terá 100 metros de altura quando pronta, tornando-se uma das mais altas do país. Para sustentar o templo, 600 estacas de concreto, com 15 metros de profundidade cada uma, estão encravadas no solo. Estima-se que outros 10 mil m³ de concreto sejam consumidos até a consolidação da obra.

Ao custo aproximado de R$ 100 milhões, a catedral é financiada pela Arquidiocese de Belo Horizonte, que arrecada recursos através de doações. “O ritmo da obra depende das doações, mas a Arquidiocese de Belo Horizonte espera inaugurá-la em 2021, ano de seu centenário”, diz dom Walmor Oliveira de Azevedo, o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, e que conta como Oscar Niemeyer projetou a catedral. “Em 2005, o arcebispo procurou o arquiteto Oscar Niemeyer e solicitou uma concepção arquitetônica. Foi prontamente atendido e cinco anos depois, em 2010, ele apresentou o projeto da Catedral Cristo Rei”, revela.

Capa de livro
Com capacidade para receber cinco mil fiéis, a Catedral Cristo Rei terá uma esplanada para 15 mil pessoas, denominada de Praça das Famílias. O complexo contará ainda com um altar externo, coberto por uma concha acústica, adequada para celebrações e também para apresentações artísticas. A dimensão da obra faz sentido, já que a Arquidiocese de Belo Horizonte engloba, além de Belo Horizonte, mais 27 municípios da região metropolitana da capital mineira. Até agora, 25% do dinheiro necessário para viabilizar a obra já foi conseguido. Cada doador terá seu nome escrito e um imenso rosário de pedra que ficará no chão da esplanada.

Etapa das fundações da nova catedral já consumiu 8 mil m³ de concreto

Etapa das fundações da nova catedral já consumiu 8 mil m³ de concreto

Um desenho da Catedral Cristo Rei ilustra a capa do livro lançado em 2011 por Oscar Niemeyer, onde ele mostra todos os templos religiosos que projetou. Em As Igrejas de Oscar Niemeyer, ele relata de onde veio a paixão por esse tipo de construção. “Nasci em uma família muito religiosa. Meu avô era religioso. Na casa onde eu morei, tinha cinco janelas, uma delas transformada em oratório pela minha avó. Tinha missa lá em casa. Era uma coisa muito natural”, conta. Por isso, o arquiteto sempre recebeu propostas para elaborar projetos de igrejas. Há ainda dois que não saíram do papel: uma mesquita em Argel, capital da Argélia, e uma capela em Potsdam, na Alemanha.

Saiba mais sobre a Catedral Cristo Rei: www.catedralcristoreibh.com.br

Entrevistado
Arquidiocese de Belo Horizonte (via assessoria de imprensa)
Contato: imprensa@arquidiocesebh.org.br

Créditos Fotos: Divulgação/Cúria Metropolitana de BH

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: