Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

No Paraná, governar é recuperar estradas

Gestão, Gestão de Obras, Mercado da Construção 27 de dezembro de 2012

Em 2013, estado planeja investir R$ 2,5 bilhões em 10 mil quilômetros de rodovias, o que engloba a construção de 399 novas pontes

Por: Altair Santos

Com recursos próprios, ou através das concessionárias de rodovias pedagiadas, o governo do Paraná planeja investir 2,5 bilhões em estradas em 2013. Os projetos englobam desde a recuperação de 10 mil quilômetros até a duplicação de outros 400, passando pela implantação de novos trechos numa extensão de 200 quilômetros. Trata-se de um pacote que está contemplado no Programa de Modernização da Infraestrutura (Proinfra) lançado no final de 2012.

Maior volume de concreto nas estradas do Paraná é empregado na construção de pontes.

Outros investimentos rodoviários dentro do Paraná, mas que ainda não saíram do papel, estão vinculados ao PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e dependem de recursos federais na ordem de R$ 3 bilhões. Os projetos incluem a implantação do Trem Pé Vermelho, para interligar Paiçandu a Ibiporã, entre norte e noroeste do estado, além da criação de um anel de integração, unindo as BRs 153, 163, 487 e 272 a rodovias estaduais. No mesmo pacote estaria incluída a construção do trecho paranaense da BR-101, que ligaria Garuva, em Santa Catarina, a Guaraqueçaba, no litoral norte do estado.

Segundo a secretaria de infraestrutura e logística do Paraná, nenhuma das rodovias que passarão por obras têm projetos contemplando o pavimento rígido. No entanto, não quer dizer que não haverá investimento forte em concreto. Até porque, faz parte do Proinfra construir 399 pontes em todo o estado, seja para substituir algumas de madeira que ainda existem no interior, seja para trocar estruturas já comprometidas ou para atender a demanda crescente de veículos em determinadas regiões.

Haverá também grande investimento em construções pré-fabricadas, para reformar e construir escolas no estado, erguer 76 novas delegacias e viabilizar os hospitais de Telêmaco Borba e Foz do Iguaçu, além do Jardim Botânico de Londrina e da ampliação de cinco campis da Universidade Estadual do Centro Oeste. São obras que juntas somam quase R$ 350 milhões. No Proinfra também foram incluídos R$ 950 milhões para o retrofit de 2.500 prédios públicos espalhados pelo Paraná.

Ainda está programado o investimento de R$ 34 milhões na recuperação de 32 aeroportos regionais, que incluem desde recuperação, ampliação e construção de novas pistas até a melhoria da infraestrutura para receber passageiros e cargas. Estão incluídos neste pacote os terminais de Pato Branco, Toledo, Umuarama, Siqueira Campos, Campo Mourão, Paranavaí, Palotina, Paranaguá, Guarapuava, Palmas, Goioerê e Sertanópolis.

A estimativa do governo do Paraná é que, para a construção civil, esse volume de obras gere dois mil postos de trabalho diretamente e 40 mil indiretamente.

Entrevistado
Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística do Paraná (via assessoria de imprensa)
Contato: http://www.infraestrutura.pr.gov.br
Créditos foto: Jorge Woll/SEIL/DER

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: