Inexistente no Paraná, BR-101 começa a sair do papel

Travessia entre Guaratuba e Matinhos, hoje feita com ferryboat, finalmente deve ganhar uma ponte

Inexistente no Paraná, BR-101 começa a sair do papel

Inexistente no Paraná, BR-101 começa a sair do papel 975 612 Cimento Itambé

Estrada vai interligar a BR-116 e a BR-376, além de atender antiga reivindicação do litoral do estado, que é a ponte Guaratuba-Matinhos

Por: Altair Santos

O Paraná é o único estado brasileiro, entre os que estão no trajeto da BR-101, que não é cortado pela rodovia. A estrada nasce no Rio Grande do Norte e vem margeando o litoral brasileiro em direção ao Rio Grande do Sul. Quando chega no Paraná, é interrompida. Mas esse “vácuo” na infraestrutura da BR-101 dá sinais de que pode acabar. No final de 2015, o governo paranaense lançou o edital para empresas dispostas a elaborar estudos e projetos para a construção da PRC-101, uma rodovia estadual que interligará os trechos da BR-101 entre São Paulo e Santa Catarina.

Travessia entre Guaratuba e Matinhos, hoje feita com ferryboat, finalmente deve ganhar uma ponte

Travessia entre Guaratuba e Matinhos, hoje feita com ferryboat, finalmente deve ganhar uma ponte

O termo PRC-101 foi adotado porque a obra será bancada integralmente com recursos do estado do Paraná, junto com uma Parceria Público-Privada (PPP). A nova estrada também terá ligações com as rodovias BR-116 e BR-376. No edital também foram incluídos estudos de viabilidade para se construir uma ponte entre os municípios de Guaratuba e Matinhos, no litoral paranaense. A intenção é criar um sistema viário que amplie os acessos aos portos paranaenses, permitindo o melhor escoamento de produtos e tornando-os mais competitivos.

Terminou em 3 de fevereiro de 2015 o prazo para as empresas apresentarem propostas para a construção desta nova rodovia. O edital, pela modalidade de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), permite que a iniciativa privada elabore os estudos técnicos e de viabilidade para PPP. O complexo será um conjunto de cinco rodovias que será interligado a uma estrada principal: a PRC-101.

Novidades em 180 dias
Pelo procedimento, as empresas interessadas financiam os estudos, apresentam o modelo de contrato a ser adotado na PPP, as garantias que o poder público deverá dar e os eventuais desembolsos do governo para viabilização do projeto. As empresas interessadas poderão solicitar ao conselho gestor de concessões a autorização para realização do PMI. O edital prevê que todos os estudos serão entregues em 180 dias, a partir de 3 de fevereiro. Esses estudos vão apontar o melhor traçado dentro da opção definida pelo governo do Paraná.

Mapa do trajeto da PRC-101, que será o trecho paranaense da BR-101

Mapa do trajeto da PRC-101, que será o trecho paranaense da BR-101

Há duas possibilidades para fazer a ligação com São Paulo. Uma seria usar o traçado que faria a ligação da futura PRC-101 com a BR-101. Outra opção é ligar a nova estrada com a BR-116 ainda em território paranaense e a saída na BR-376 seria feita no trecho da rodovia que cruza o estado (veja mapa).

Entrevistado
Secretaria de Infraestrutura e Logística do Estado do Paraná (via assessoria de imprensa)
Contatos
der@der.pr.gov.br
infraestrutura@seil.pr.gov.br

Créditos fotos: Cortesia/AEN

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil