Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Manaus tem maior conjunto do Minha Casa Minha Vida

Gestão, Mercado da Construção, Mercado Imobiliário 25 de outubro de 2013

Das 8.895 unidades previstas, 3.511 já foram entregues. Sistema de paredes de concreto armado viabiliza megaconstrução do programa habitacional

Por: Altair Santos

Balanço do Minha Casa Minha Vida, divulgado em julho de 2013 pela ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, revela que, desde o lançamento do programa, em 2009, 340.774 unidades da faixa 1 (três salários mínimos) foram entregues. Entre essas moradias, 8.895 estão concentradas no Residencial Viver Melhor, em Manaus-AM, que detém o título de maior conjunto habitacional do MCMV.

Residencial Viver Melhor, em Manaus: consumo de quase 149 mil m³ de concreto

Localizado na zona norte da capital amazonense, o complexo habitacional foi concebido sob o conceito de bairro planejado. “Paralelamente, foram construídas uma estação de tratamento de esgoto, ruas asfaltadas, creches, posto de saúde, escolas e uma linha de transporte público para o conjunto. É o primeiro bairro planejado popular do país”, afirma Regina Lúcia Ferreira Gomes, diretora-técnica da Superintendência de Habitação do governo do Amazonas (Suhab).

Na primeira etapa do Viver Melhor, foram entregues 3.511 unidades habitacionais em setembro de 2012. Em dezembro de 2013, outras 5.384 serão concluídas. Para cumprir o cronograma, a Direcional Engenharia – construtora que ganhou a licitação da obra -, optou pelo sistema de paredes de concreto armado.

Segundo Ismar Fernandes, engenheiro que gerencia o empreendimento, o modelo traz um elevado ganho de produtividade. “A montagem das fôrmas e a concretagem permite construir 32 estruturas de apartamentos por dia. Em processos convencionais, a construção de 32 unidades, incluindo acabamento, leva em média seis meses. Com esse método, o tempo diminui para 60 dias. A primeira etapa da construção das moradias durou dois anos”, revela. “A mão de obra foi treinada para montar e desmontar as fôrmas com grande agilidade, o que também dá rapidez ao processo”, completa

O planejamento prevê que as 8.895 unidades do conjunto consumirão 149 mil m³ de concreto. Para viabilizar o bairro do Minha Casa Minha Vida, o investimento é de 463,1 milhões, num formato de financiamento que envolve a Caixa Econômica Federal e o governo amazonense. O empreendimento gera 2.500 empregos diretos e 8.500 indiretos. Entre os operários, 150 mulheres foram contratadas para atuar especificamente nos trabalhos de acabamento.

Cada casa e apartamento mede 33 m², com sala, cozinha, dois quartos, banheiro e área de serviço. “O residencial atende as famílias, segundo critérios estabelecidos pelo ministério das Cidades: famílias chefiadas por mulheres; famílias residentes em áreas de risco; famílias com filhos com residência fixa em Manaus há, no mínimo, três anos; famílias que residem na condição de cedidos ou alugados, que não foram contempladas com programas habitacionais de esfera federal, estadual, municipal, bem como assentamentos, e famílias com membros que possuam doenças crônicas degenerativas. Some-se a esses critérios, a renda familiar, que não pode ultrapassar R$ 1.600,00 reais por mês”, finaliza Amilca Pontes Negrão, diretora de habitação da Suhab.

Veja vídeo sobre o maior conjunto do MCMV

Entrevistado
Superintendência de Habitação do governo do Amazonas (Suhab) (via assessoria de imprensa)

Contatos:
assessoriadecomunicacao@suhab.am.gov.br
dehab@suhab.am.gov.br

Crédito foto: Divulgação/Suhab

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também:

1 Comentário