Londrina sediou fórum de acessibilidade

Londrina sediou fórum de acessibilidade

Londrina sediou fórum de acessibilidade 150 150 Cimento Itambé

Evento debateu a padronização de calçadas e propôs melhorias para que as leis existentes de acessibilidade sejam atendidas

Créditos: Engª. Naguisa Tokudome – Assessora Técnico Comercial Itambé

Programa de Acessibilidade

Programa de Acessibilidade

Londrina sediou, no dia 29 de junho, a 10ª edição do Fórum Permanente de Acessibilidade. O objetivo do evento foi criar um espaço de discussão para os profissionais da engenharia e arquitetura, para que eles pudessem partilhar experiências e propor ações de melhorias para atender as leis existentes de acessibilidade.

Aproximadamente 60 pessoas participaram do fórum e, apesar da maioria ser composta por profissionais da construção civil, marcaram presença também representantes de ONGs e pessoa com deficiência – principais interessados na aplicação prática do assunto.

A iniciativa de promover o encontro foi do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná (Crea-PR), que convidou o engenheiro civil Carlos Roberto Giublin, da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), para falar sobre espaços urbanos e qualidade das calçadas. “É importante disseminar essas informações, para que as normas existentes sejam cumpridas. Foi proposto no fórum que as prefeituras exijam, para a aprovação de novas edificações, a apresentação de um projeto de calçada. Na maioria das cidades, isso é apenas uma recomendação”, comentou Giublin.

Entre 2003 e 2005, o professor Ph.D Evandro Cardoso Santos, hoje consultor internacional em transportes, desenvolveu uma pesquisa em parceria com universidades renomadas de quatro cidades do Paraná. O estudo analisou as condições das calçadas de Curitiba, Foz do Iguaçu, Londrina e Maringá. Na avaliação, foram atribuídas notas de zero a dez e somente Maringá apresentou média acima de 5,0. “Infelizmente, salvo poucas e raras exceções, nada foi feito para que, numa nova medição, as notas das cidades estudadas pudessem sofrer qualquer alteração positiva. Nas maiores cidades do Paraná e do Brasil, os pedestres continuam relegados ao segundo plano, com os automóveis sendo os donos da cena urbana”, declarou o professor Evandro.

Outros fóruns sobre acessibilidade serão realizados nos meses de agosto e outubro, em Curitiba e Ponta Grossa. Para mais informações, acesse o site do Crea-PR:

http://www.crea-pr.org.br/crea3/html3_site/assessoria_de_comunicacao/acessibilidade/index.htm

Jornalista responsável – Altair Santos MTB 2330 – Tempestade Comunicação

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil