Loja de material de construção adota drive thru na venda

Com a Obramax, grupo francês amplia seus negócios no Brasil e inova no modelo de venda e no público-alvo

Loja de material de construção adota drive thru na venda

Loja de material de construção adota drive thru na venda 800 600 Cimento Itambé
Obramax traz novo modelo de venda de materiais de construção, com foco no pequeno e médio construtor e no comércio varejista. Crédito: Thais Ferreira/ Diário do Comércio

Obramax traz novo modelo de venda de materiais de construção, com foco no pequeno e médio construtor e no comércio varejista. Crédito: Thais Ferreira/ Diário do Comércio

Marca do grupo francês Adeo – também dono da Leroy Merlin -, a rede Obramax é voltada para a venda de materiais de construção para pequenos e médios construtores. Em janeiro de 2018, na cidade de São Paulo-SP, a rede francesa inaugurou sua primeira loja no Brasil. O ponto de venda trouxe duas inovações. Uma delas é a oferta do serviço de drive-thru, no qual o comprador pode entrar com o veículo no pátio, abastecer e pagar na hora. Além disso, a Obramax oferece a solução conhecida como “click & collect”, que permite ao cliente comprar no e-commerce e retirar o produto na loja física.

A loja oferece 18.600 itens e também atende o pequeno varejo do material de construção. Além do drive-thru para quem tem veículo próprio e pode carregar a compra, a Obramax oferece também o serviço de entrega. O diretor-geral da loja, Michael Reins, reforça que o foco está no atacarejo. O modelo é híbrido, atendendo desde compradores de grandes volumes (pequenas e médias construtoras), profissionais autônomos (engenheiros civis, arquitetos, mestres de obra, empreiteiros, pedreiros, encanadores, eletricistas, pintores) e profissionais especialistas (gesseiros, marceneiros, serralheiros), assim como empresas de instalação e manutenção, condomínios e lojas de varejo, que, segundo o SEBRAE, são 270 mil no país.

Nome e modelo de venda teve que se adaptar ao mercado brasileiro

O investimento na primeira loja aberta no Brasil é de 110 milhões de reais. Até 2023, a Obramax projeta abrir mais 10 lojas em outras regiões do país, calculando aporte de um bilhão de reais. A próxima inauguração deve ser em 2019, na região da Baixada Santista, em São Paulo-SP. “Em um primeiro momento nosso foco será o estado de São Paulo, mas dentro desse plano de dez inaugurações devemos entrar também em outras regiões”, afirma Michael Reins, que se mostra otimista com o setor de material de construção no Brasil. “O segmento deve ser um dos ramos do comércio que mais vai crescer. Nos últimos anos, os brasileiros seguraram muito as obras e as reformas. A retomada da economia e do emprego deve permitir que os consumidores recuperem esse atraso”, projeta.

Na Europa, a Obramax opera com o nome de Bricomart ou Bricoman e possui 77 unidades espalhadas por quatro países. Atualmente, é o 3º maior grupo varejista de materiais de construção do mundo e o 1º no mercado europeu. Para entrar no mercado brasileiro, a empresa fez adaptações. Modificou a grade de produtos e, principalmente, o formato de pagamento. Fora do Brasil, o sistema funciona da seguinte forma: quanto mais quantidade o cliente adquirir, mais desconto ele obtém no pagamento à vista. Já para o consumidor brasileiro foi aceito o parcelamento com cartão de crédito e o modelo de venda faturada, pois no país existe a figura da pessoa jurídica.

Entrevistado
Michael Reins, diretor-geral da Obramax no Brasil (
via assessoria de imprensa)

Contato: faleconosco@obramax.com.br

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil