Guia reúne prédios-referência à arquitetura nacional

Edifício Renata Sampaio Ferreira: obra de Oswaldo Bratke

Guia reúne prédios-referência à arquitetura nacional

Guia reúne prédios-referência à arquitetura nacional 884 1024 Cimento Itambé

Edifícios formam coleção de obras de arquitetos que atuaram no Brasil a partir de 1940. Entre eles, Rino Levi, Oswaldo Bratke e Oscar Niemeyer

Por: Altair Santos

Uma lista de 50 prédios considerados emblemáticos sob o ponto de vista arquitetônico integra o projeto Passeios de Arquitetura, criado em 2014 pelo IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil). As edificações foram catalogadas e fazem parte de cinco rotas localizadas no centro da cidade de São Paulo. A ideia nasceu por causa da demanda que o IAB recebe mensalmente, de arquitetos brasileiros e estrangeiros, além de estudantes de arquitetura, que pedem para que o instituto os guie pelas ruas da capital paulista, a fim de mostrar as obras mais relevantes. “Para a escolha dos pontos de interesse arquitetônico levou-se em consideração o conhecimento embasado de autoria e data dos projetos. A partir dessa escolha, têm sido redigidos os verbetes com informações detalhadas de cada lugar. Até o momento, foram elencados 50 pontos, mas sabe-se que ainda existem muitos outros a serem catalogados”, explica Rafael Schimidt, conselheiro superior do IAB.

Rafael Schimidt, do IAB: catalogação deve se estender para outras cidades

Transformado em uma espécie de guia de referência arquitetônica da cidade de São Paulo, o projeto Passeios de Arquitetura contempla edifícios assinados por arquitetos como Rino Levi, Gregori Warchavchik, Oswaldo Bratke e Oscar Niemeyer. Porém, destaca-se a quantidade de edifícios projetados pelo arquiteto Adolf Franz Heep. “Isso ocorre por que a construção dos pontos indicados no guia aconteceu no período de 1940 a 1980. Entre os mais recentes, está o remodelado Instituto de Pesquisa da Santa Casa e alguns prédios localizados dentro do campus da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Porém, vários edifícios foram restaurados e apresentam ampliações contemporâneas”, diz Rafael Schimidt. Para ver estas e outras edificações, basta escolher uma das rotas criadas pelo IAB, que partem sempre de praças paulistanas e abrangem um raio de 600 metros. As rotas são as seguintes: Passeio República, Passeio dom José Gaspar, Passeio Roosevelt, Passeio Rotary e Passeio Arouche.

Em outras cidades
Para conhecer as rotas antecipadamente é possível acessar o site do Passeios de Arquitetura (www.passeiosiabsp.com.br). Segundo Rafael Schimidt, o gerenciamento da plataforma digital permite verificar que o guia é acessado por pessoas em todos os continentes. “Muitos nos escrevem solicitando mais informações e alguns sugerem pontos que ainda não estão indicados nos percursos. Ou seja, o projeto está atingindo os objetivos planejados e desejados e, através das redes sociais, tem ampliado sua abrangência”, afirma. O próximo passo será a criação de passeios guiados. “O objetivo do Passeios de Arquitetura é que as pessoas façam as rotas por conta própria, com o auxílio da plataforma digital acessada pelo celular. Porém, está se cogitando a possibilidade de realizar passeios guiados, já que recebemos muitos pedidos para isso”, completa. A tendência é que arquitetos do próprio IAB, que ajudaram a catalogar os edifícios, se tornem os guias.

Considerado ainda em fase inicial de implantação, o Passeios de Arquitetura tende a agregar mais obras e tem a possibilidade de ser expandido para outras cidades. “Esse trabalho está em pleno andamento e a primeira fase, já concluída, refere-se ao levantamento do conteúdo inicial e ao lançamento da plataforma digital. É possível estender o projeto para outras cidades, mas as ações prioritárias são as seguintes: aumentar a área de abrangência, incluindo outras regiões da cidade de São Paulo; tradução do conteúdo escrito para outras línguas, e interatividade entre os usuários e a plataforma digital”, conclui Rafael Schimidt. Em Curitiba, existe a possibilidade de fazer passeios de arquitetura, a partir das obras de Elgson Ribeiro Gomes. O roteiro está disponível na página do documentário Linhas de Paisagem.

Entrevistado
Arquiteto Rafael Schimidt, professor nos cursos de arquitetura e fotografia do complexo Educacional FMU FIAM FAAM e conselheiro superior do IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil).
Contatos
rafaelps@iabsp.org.br
logoscopio@yahoo.com.br

Créditos Fotos: Divulgação/IAB-SP

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil