Gigantes chinesas estão de olho no vácuo da Lava Jato

Canteiro de obras na China: gigantes começam a se instalar no Brasil

Gigantes chinesas estão de olho no vácuo da Lava Jato

Gigantes chinesas estão de olho no vácuo da Lava Jato 553 369 Cimento Itambé

Quatro grupos asiáticos aproveitam oportunidades surgidas pelo enfraquecimento de Odebrecht, Camargo Corrêa, OAS e Mendes Júnior

Por: Altair Santos

A China Communications Construction Company (CCCC) agora é acionista majoritária da Concremat Engenharia – empresa que construiu a ciclovia Tim Maia, que desabou em abril de 2016 na cidade do Rio de Janeiro. Com o aporte de R$ 350 milhões para adquirir 80% da empreiteira de médio porte, a gigante chinesa da construção civil pretende aproveitar o vácuo deixado pelas grandes construtoras do Brasil, por causa da operação Lava Jato, e atuar na infraestrutura do país. Mas não é só ela. Também estão entrando no mercado brasileiro a China Three Gorges, a State Grid e a HNA.

Canteiro de obras na China: gigantes começam a se instalar no Brasil

Canteiro de obras na China: gigantes começam a se instalar no Brasil

Cada uma destas grandes construtoras chinesas tem sua especialidade. A CCCC sonda o mercado brasileiro desde 2014 e é voltada para infraestrutura e logística. Com capital de US$ 120 bilhões, a construtora chinesa já abocanhou os terminais privados do porto de São Luís, no Maranhão, por R$ 400 milhões. Além disso, mantém negócios com os portos de Santos, Paranaguá e Rio de Janeiro, fornecendo dragas e guindastes portuários. Do Brasil, ela pretende expandir seus negócios para Argentina, Peru e América Central. Por isso, prioriza as concessões ferroviárias.

A China Three Gorges, principal acionista do consórcio que construiu a hidrelétrica Três Gargantas, e que faz a gestão da usina erguida no rio Yang-tsé, atua no setor de energia. No Brasil, ela investe em parques eólicos no nordeste do país e já se tornou sócia de 17 hidrelétricas no estado de São Paulo, que pertenciam à CESP (Companhia Energética de São Paulo). Presente em 40 países, a empresa é hoje a maior produtora de energia elétrica do mundo, com capacidade instalada de 201,2 TWh (Terawatt-hora) e US$ 10,1 bilhões de receita operacional.

Sedentas por comprar
No Brasil desde 2013, com o nome de CTG Brasil, a China Three Gorges já é a segunda maior geradora privada de energia no país, com investimento de R$ 20 bilhões. “Nos primeiros dois anos, nosso foco foi mais em cima das hidrelétricas. Agora estamos nos concentrando nas energias renováveis (eólicas)”, afirmou Li Yinsheng, que preside o braço da CTG no Brasil. Em 2015, a CTG Brasil adquiriu da EDP Renováveis Brasil 49% de participação em 11 parques eólicos em operação ou em desenvolvimento no país. Atualmente, a EDP opera 328 MW de energia eólica.

A State Grid também entrou no Brasil pelo setor elétrico. Comprou em 2016, por R$ 14 bilhões, a CPFL Energia. O presidente da unidade brasileira da companhia, Cai Hongxian, explica o motivo do investimento forte no país. “Existem muitas oportunidades”, diz, afirmando que a empresa chinesa quer ser tratada como uma corporação brasileira. “Agimos como um player local e queremos ser tratados como tal”, completa. Hoje, as maiores obras da State Grid no Brasil estão relacionadas com as linhas de transmissão de energia da usina Belo Monte. A construtora não descarta tornar-se dona da terceira maior hidrelétrica do mundo.

A mais recente gigante chinesa a chegar no Brasil foi a HNA, que administra 13 aeroportos na Ásia e na América do Norte. Em abril de 2017, a empresa comprou por R$ 19 bilhões a parte do aeroporto do Galeão, no Rio, que pertencia à Odebrecht. Aliás, o enfraquecimento de Odebrecht, Camargo Corrêa, OAS e Mendes Júnior – todas envolvidas nas denúncias investigadas pela operação Lava Jato – é que estimula as chinesas a criar raízes no Brasil. O próximo passo delas é observar as aberturas de mercado que devem vir nas áreas de infraestrutura rodoviária e saneamento. Com o Brasil em liquidação, as gigantes da China estão sedentas por comprar.

Entrevistados
China Communications Construction Company (CCCC) (assessoria de comunicação)
China Three Gorges (assessoria de comunicação)
State Grid Brazil Group (assessoria de comunicação)
HNA Group (assessoria de comunicação)

Contatos
ctgbr@ctgbr.com.br
ctgbr.com.br
ir@ccccltd.cn
www.ccccltd.cn
contato@statgrid.com.br
www.stategridbr.com
www.hnagroup.com

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil