Financiamento só para quem usar madeira legal

Financiamento só para quem usar madeira legal

Financiamento só para quem usar madeira legal 150 150 Cimento Itambé

Caixa Econômica Federal restringe liberação de recursos a empreendimentos imobiliários que seguirem normas do Ibama

Ministro do Meio Ambiente Carlos Minc

Ministro do Meio Ambiente Carlos Minc

Desde 1.º de janeiro, a Caixa Econômica Federal passou a exigir o uso de madeira de origem comprovada nos empreendimentos imobiliários que for financiar. O acordo entre a Caixa, o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) pretende coibir o uso de madeira ilegal, geralmente retirada em desmatamentos na Amazônia. Nas construções imobiliárias, há utilização de grandes quantidades de madeira em andaimes, forros e esquadrias, por exemplo.

A Caixa incluirá nos contratos firmados com as construtoras uma cláusula que torna obrigatória a apresentação do Documento de Origem Florestal (DOF) – documento virtual que comprova a origem, a quantidade e finalidade da madeira consumida. A regra não atingirá pessoas físicas que financiem material para compra ou reforma de imóveis.

De acordo com o Ibama, o DOF garante que a madeira tem origem em desmatamentos autorizados – quando os proprietários de terra derrubam os 20% de sua propriedade a que têm direito, no caso da Amazônia – ou de manejos florestais – quando apenas as grandes árvores de valor comercial são retiradas da floresta.

O instituto treinará funcionários da Caixa para consulta ao Sistema DOF, para que tenham acesso à informações da madeira usada pelas construtoras. Para as empresas, a orientação é procurar uma das unidades do Ibama nos Estados para inscrição ou regularização em um cadastro federal para movimentação de madeiras.

Até 30 de junho, a ação terá caráter educativo, segundo a Caixa. Após essa data, as empresas que não apresentarem os documentos não terão acesso a novos financiamentos do banco e serão investigadas pelo Ibama.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, o governo criou mecanismos para fornecer madeira legal à atividade econômica. O órgão responsável por cuidar da extração será o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), recentemente transformado em autarquia. “Já existem milhões de hectares de floresta para produção de madeira legal e certificada, até porque a única maneira de combater a ilegalidade é aumentar a oferta da [madeira] legalizada”, disse o ministro.

Fonte: Agência Brasil

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil