Por que não conseguimos encontrar todos os tipos de cimento (assim como as diferentes classes de resistência, conforme norma) em todas as regiões do Brasil?

Resposta: A Itambé achou melhor colocar no mercado o CP V-ARI, que tem na sua composição um teor de material carbonático de 5%, como o CP I-S, mas com blaine mais alto para atender o setor de pré-moldados e artefatos de cimento. Já o CP I não permite nenhum tipo de adição – 100% de clínquer mais gesso.

O CP II-E e o CP III são cimentos que utilizam escória granulada de alto-forno, material não disponível na região sul, por exemplo.

A classe 32 é a intermediária e, por isso, se aplica a todos os tipos de utilização com mais facilidade. Os cimentos de alta resistência inicial não têm classe definida em norma.