O rompimento de corpos de prova de concreto com o emprego do neoprene está contemplado na norma?

Resposta: A norma ABNT NBR 5738 – Concreto – Procedimento para moldagem e cura de corpos de prova, em seu item 9 – Preparação das bases dos corpos de prova cilíndricos para ensaio a compressão axial, determina que as bases devam estar planas e perpendiculares ao eixo longitudinal. Cita opcionalmente o remate com pasta de cimento, outros tipos de capeamento ou retificação. Não especifica nenhum tipo determinado de material, mas apenas as condições de perpendicularidade, planicidade e lisura.

Já no item 9.4.2.5 diz que outros processos podem ser adotados, desde que se comprove com ensaios comparativos, que o sistema adotado é compatível com o processo tradicional. Portanto, se você utilizar o neoprene e ele for compatível por comparação estatística, não há problema em utilizar.

O que se quer, na realidade, é que o resultado da ruptura seja a resistência efetiva do concreto na idade que se está rompendo. Se o processo adotado não for o adequado, o resultado da ruptura será menor do que o valor real da resistência do concreto. Resulta que as dosagens podem estar com consumos de cimento além do necessário e consequente desperdício, por exemplo.