Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

EUA trabalham em novo pavimento: o de concreto permeável

Área Técnica, Gestão, Inovação, Mercado da Construção, Novas Tecnologias, Sobre Concreto 27 de dezembro de 2017

Em cinco anos, pesquisadores avaliam que material poderá ganhar as rodovias de alto tráfego. Por enquanto, é testado em vias urbanas

Pavimento permeável testado em Omaha, no Nebraska: resistência e durabilidade semelhante ao do pavimento rígido tradicional. Crédito: Nebrconcagg.

Pavimento permeável testado em Omaha, no Nebraska: resistência e durabilidade semelhante ao do pavimento rígido tradicional. Crédito: Nebrconcagg.

País que mais usa pavimento em concreto, os Estados Unidos passaram a atuar em um novo ciclo: o concreto permeável. As pesquisas contam com o apoio da ACI (American Concrete Institute) e da ASTM (American Society for Testing and Materials). Em Omaha, no estado de Nebraska, foi pavimentado um pequeno trecho urbano com essas características. Os testes mostraram que para preservar a resistência, os vazios do pavimento permeável devem variar entre 15% e 30%, no máximo. Abaixo do valor mínimo, a laje perde a capacidade de drenagem; acima do valor máximo, drenará rapidamente, mas perderá as propriedades essenciais para a durabilidade do concreto.

Outra exigência para esse tipo de concreto é a uniformidade dos agregados. “A pesquisa mostrou que, com a proporção adequada, o pavimento permeável alcança durabilidade comparável com o concreto convencional e seus vazios filtram adequadamente as águas pluviais”, diz o pesquisador John Kevern, que é professor-associado da UMKC (University of Missouri-Kansas City). O engenheiro civil com especialidade em durabilidade e resistência do concreto apresentou os resultados do pavimento permeável no Fórum de Tecnologia de Concreto NRMCA (National Ready Mixed Concrete Association [Associação Nacional de Concreto pré-misturado ou dosado em central]).

Corpo de prova mostra principal característica deste tipo de pavimento: uniformidade dos vazios. Crédito: Nebrconcagg.

Corpo de prova mostra principal característica deste tipo de pavimento: uniformidade dos vazios. Crédito: Nebrconcagg.

No trecho urbano em teste foram despejados 17 mil m3 de concreto permeável. Transportado por caminhões-betoneiras, o material alcançou espessura de 15,5 centímetros. Depois de 28 dias, os vazios atingiram 26% de permeabilidade. Após a cura, foram retirados 21 corpos de prova do pavimento para testar a uniformidade da permeabilidade. A diferença variou menos de 5% de um ponto a outro, nunca superando os 26% no ponto mais permeável e 21,7% no ponto menos permeável. Para os padrões da ACI, essa variação entre os vazios é considerada dentro dos padrões.

A precisão da permeabilidade é importante para que ocorra uma drenagem uniforme ao longo de toda a pista. Nos Estados Unidos, esse tipo de pavimento tem sido aperfeiçoado e testado intensamente para que possa ser levado para as rodovias com tráfego intenso de veículos pesados, sem oferecer nenhum risco de degradação ao longo do tempo. A meta é criar estradas que possam drenar a neve mais rapidamente, sem o uso de sal. Verificou-se que o cloreto de sódio (NaCl), usado nas rodovias com pavimento rígido para acelerar o derretimento da neve, tem comprometido a durabilidade do concreto e causado patologias.

Precisão na construção da pista é um requisito do qual os construtores não abrem mão, a fim de conquistar novos mercados. Crédito: Nebrconcagg.

Precisão na construção da pista é um requisito do qual os construtores não abrem mão, a fim de conquistar novos mercados. Crédito: Nebrconcagg.

Confiabilidade x Mercado
John Kevern ressalta que atingir a confiabilidade do pavimento permeável é fundamental para que possa ganhar novos mercados. “Quem está produzindo o concreto para o pavimento e quem está construindo a pista está extremamente preocupado com a qualidade. Por isso, os corpos de prova são retirados em vários pontos das estradas-teste, a fim de que possamos dizer que existe um produto confiável a oferecer”, ressalta. Outra premissa é o compartilhamento de dados. “Com isso, reduzimos as imprevisibilidades, pois cada experimento testado agrega mais informações”, completa. A expectativa é de que em cinco anos as rodovias de alto tráfego possam receber pavimento permeável nos Estados Unidos.

Entrevistado
John Kevern, Ph.D em engenharia civil, professor-associado da UMKC (University of Missouri-Kansas City) e especialista em durabilidade e resistência do concreto (com base em artigo publicado pela Nebraska Concrete and Aggregates Association)

Contato
info@nebrconcagg.com



Leia também: