Pesquisa produz espelho de alta precisão com concreto

Espelhos gigantes para telescópios: uma das aplicações do concreto óptico desenvolvido na Holanda

Pesquisa produz espelho de alta precisão com concreto

Pesquisa produz espelho de alta precisão com concreto 1024 734 Cimento Itambé

Utilizando cimento Portland, cientistas da Universidade Tecnológica de Delft construíram superfícies com capacidade de reflexão melhor que o vidro

Por: Altair Santos

O processo de industrialização de espelhos para telescópios, radares e até aquele aparelhinho que o dentista usa para verificar a boca do paciente tende a se tornar mais barato. Pesquisadores da Universidade Tecnológica de Delft, na Holanda, avançam nos estudos que transformam concreto em espelho de alta precisão. Utilizando cimento Portland, e outros ligantes, os cientistas conseguiram produzir superfícies superlisas e com capacidade de reflexão melhor que o vidro. A diferença é que o custo para chegar a esse resultado é bem menor que o processo que transforma o vidro em espelho de alta precisão. Chamado de concreto óptico, o novo material começará a ser testado em equipamentos a partir de 2015.

Espelhos gigantes para telescópios: uma das aplicações do concreto óptico desenvolvido na Holanda

O uso de vidro para a fabricação de espelhos ópticos requer, além de areias especiais, um processo longo de moagem e de polimento. É isso que encarece a sua industrialização. Pesquisando alternativas, os cientistas da UT Delft descobriram que o cimento Portland permite formar superfícies que refletem com precisão. A partir desta constatação, eles aprimoraram o concreto fluído que é colocado dentro de moldes côncavos, a fim de fabricar os primeiros espelhos ópticos. Entre as principais vantagens detectadas pelos pesquisadores, verificou-se que o espelho de alta precisão a partir do concreto tem menor densidade que o vidro, e é mais rígido.

Concretando inovações
Outra descoberta feita na UT Delft é que, no caso de grandes áreas espelhadas, como exigem telescópios e satélites, o concreto óptico permite que a estrutura seja formada por pequenas peças hexagonais, ao contrário do vidro, que necessita de componentes maiores, o que acaba dificultando o transporte. Também se observou que o espelho à base de cimento Portland é altamente eficiente para a construção de painéis para a captação de energia solar. Por dois motivos: redução do custo de produção e capacidade de reter menos calor do que o espelho de vidro e, consequentemente, conseguir transmitir mais energia às baterias.

Protótipos dos espelhos de alta definição a base de concreto: até indústria automobilística está interessada no produto

Depois de testar concreto óptico em laboratório, a UT Delft começa a preparar o produto para que ele possa substituir espelhos côncavos e convexos de alta precisão. Um dos primeiros interessados na invenção é a indústria automobilística, por causa dos espelhos retrovisores dos veículos. A universidade da Holanda, uma das mais tradicionais do mundo em pesquisas relacionadas ao concreto, é pioneira também na descoberta do material que se autorregenera. A capacidade de recuperação se deve a bactérias agregadas ao concreto e que, estimuladas pela luz, recompõem eventuais fissuras. “Nossa universidade acredita nas potencialidades do concreto como elemento capaz de gerar produtos inovadores”, afirma Henk Jonkers, pesquisador da Faculdade de Engenharia Civil e Geociências, Ciências dos Materiais e Construção Sustentável da TU Delft.

Entrevistado
Henk Jonkers, pesquisador da Faculdade de Engenharia Civil e Geociências, Ciências dos Materiais e Construção Sustentável da TU Delft. (por email)

Contatos

hmjonkers@tudelft.nl
www.dcmat.tudelft.nl

Crédito Foto: Todd Mason/GMT Consortium/Carnegie Observatories/Divulgação/ TU Delft

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil