Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Engenharia Civil da UEM destaca-se em ranking nacional

Pesquisas, Qualificação Profissional, Universidade e Pesquisa 10 de maio de 2011

Investimento na qualificação dos professores fez com que curso da Universidade Estadual de Maringá ocupasse o 7.º lugar, segundo levantamento do MEC

Por: Altair Santos

O mais recente ranking sobre o desempenho das instituições de ensino superior do país, divulgado em janeiro de 2011 pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), destacou as 100 faculdades, centros universitários e universidades que têm os melhores cursos de Engenharia Civil. A lista se utiliza das notas do Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) de 2009. No Paraná, a melhor ranqueada foi a Universidade Estadual de Maringá (UEM), que obteve nota 3,89.

Universidade Estadual de Maringá: Engenharia Civil obteve 7.º lugar no ranking do INEP

O Enade é aplicado a alunos ingressantes e concluintes de cursos superiores, com o objetivo de aferir a qualidade do ensino. Cada graduação recebe uma nota em uma escala de 1 a 5, sendo que 1 e 2 são considerados desempenho insatisfatório; 3, razoável; e 4 e 5, bom. Dos cursos de Engenharia Civil que se submeteram ao Enade, apenas cinco obtiveram nota acima de 4 (confira abaixo o ranking completo).

Ressalte-se que, por não ser obrigatória, algumas universidades não participaram da avaliação. Por isso, cursos superiores que reconhecidamente são bem conceituados na graduação Engenharia Civil, como os casos da USP (Universidade de São Paulo) e da Unicamp (Universidade de Campinas), além da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), não aparecem no ranking do INEP, que é ligado ao Ministério da Educação (MEC).

No Paraná, além da UEM, aparecem no ranking a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), em 15.º, com nota 3,57; Universidade Estadual de Londrina (UEL), em 26.º, com 3,18; a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), em 33.º, com 3,04; a Universidade Positivo, em 38.º, com 2,88; a Pontifícia Universidade católica do Paraná (PUC-PR), em 67.º, com 2,33; a Universidade Tuiuti do Paraná, em 79.º, com 2,19, e a Faculdade Dinâmica das Cataratas, em 96.º, com 2,01.

Para ocupar o 7.º lugar na lista, a Universidade Estadual de Maringá priorizou a qualificação dos professores. “Hoje contamos com um quadro de professores que tem 80% de doutores. Associado a isso, promovemos práticas de melhoria da nossa infraestrutura de laboratório e infraestrutura de sala de aula. Também reformulamos o projeto pedagógico. Tentamos colocar um conteúdo mais avançado para incorporar novas tecnologias e dar a ele um perfil mais prático. Hoje o curso é mais direcionado a práticas de laboratório e práticas de projetos, principalmente”, explica Jeselay Hemetério Cordeiro dos Reis, coordenador do curso de Engenharia Civil da UEM.

O curso de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Maringá vai completar 40 anos em 2012. Para comemorar a data, houve investimento na modernização dos laboratórios. “Para dar exemplo, renovamos os laboratórios de topografia, onde os teodolitos foram substituídos por equipamentos que usam GPS. Além disso, estamos melhorando os laboratórios de geoprocessamento, de materiais de construção, de mecânicas de solo e de pavimentação. Por isso, atualmente, temos 36 projetos de pesquisa em andamento”, revela o coordenador do curso, que conta atualmente com 470 alunos.

Alta empregabilidade
Para manter essa taxa de estudantes a UEM desenvolveu uma série de ações para combater esta evasão. A universidade diagnosticou que boa parte dos alunos trazia como herança formação inadequada no ensino médio e desconhecimento da profissão de engenheiro civil. “Agimos nas duas pontas, para primeiro fornecer um nivelamento básico para os nossos alunos e depois orientá-los sobre a profissão, principalmente nas séries iniciais. Isso fez com que a nossa evasão, que chegou a quase 40%, hoje esteja em torno de 5%. Abrimos anualmente 84 vagas e estamos formando 80”, diz Jeselay Hemetério Cordeiro dos Reis.

O nível de empregabilidade dos alunos formados em engenharia civil pela UEM está em 87%. A região de Maringá absorve 40% deles. Os demais obtêm vagas em outras regiões do Paraná, em Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e interior de São Paulo. Há graduados da UEM também atuando nos estados do Pará, da Paraíba, Rondônia e Acre.

Ranking dos 100 melhores cursos de Engenharia Civil, segundo o INEP
1 – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO – PUC-RIO – 4,59
2 – INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA – IME – 4,43
3 – UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA – UNB – 4,22
4 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – UFSCAR – 4,10
5 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA – UFSC – 4,02
6 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – UFRGS – 3,90
7 – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ – UEM – 3,89
8 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO – UFRJ – 3,89
9 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS – UFAL – 3,87
10 – UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO- UNESP – 3,83
11 – FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – UFV – 3,78
12 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS – UFG – 3,77
13 – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO – UENF – 3,75
14 – UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO – UNESP – 3,70
15 – UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ – UNIOESTE – 3,57
16 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE – UFRN – 3,46
17 – UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL – UNIJUI – 3,39
18 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA – UFU – 3,33
19 – FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC – 3,31
20 – UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO – UPF – 3,30
21 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL – UFMS – 3,30
22 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS – UFMG – 3,30
23 – UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE – UFF – 3,27
24 – UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – UERJ – 3,20
25 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA – UFSM – 3,18
26 – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA – UEL – 3,18
27 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO – UFPE – 3,17
28 – UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL – ULBRA – 3,13
29 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES – 3,13
30 – UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS – UNISINOS – 3,07
31 – UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE – MACKENZIE – 3,06
32 – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL – PUCRS – 3,05
33 – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA – UEPG – 3,04
34 – CENTRO UNIVERSITÁRIO DO INSTITUTO MAUÁ DE TECNOLOGIA – CEUN-IMT – 3,01
35 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE – FURG – 2,98
36 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ – UFC – 2,94
37 – UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA – UNOESTE – 2,92
38 – UNIVERSIDADE POSITIVO – UP – 2,88
39 – UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO – UNESP – 2,87
40 – UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP – 2,85
41 – UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA – UFBA – 2,80
42 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA – UFJF – 2,80
43 – UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ – UNIVALI – 2,77
44 – UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP – 2,73
45 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO – UFMT – 2,72
46 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA – UFRR – 2,70
47 – UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI – UAM – 2,70
48 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE – UFAC – 2,69
49 – UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ – UNITAU – 2,69
50 – UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ – UNOCHAPECÓ – 2,64
51 – UNIVERSIDADE GAMA FILHO – UGF – 2,63
52 – UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU – USJT – 2,59
53 – FACULDADE ASSIS GURGACZ – FAG – 2,57
54 – CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL INACIANA PE SABÓIA DE MEDEIROS – FEI – 2,56
55 – UNIVERSIDADE DE FORTALEZA – UNIFOR – 2,51
56 – UNIVERSIDADE ANHANGUERA – UNIDERP – UNIDERP – 2,50
57 – UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA – UNOESC – 2,48
58 – UNIVERSIDADE REGIONAL INTEGRADA DO ALTO URUGUAI E DAS MISSÕES – URI – 2,46
59 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ – UFPI – 2,45
60 – UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ – UNESA – 2,45
61 – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS – PUC MINAS – 2,44
62 – UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA – UNISANTA – 2,42
63 – UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA – UVA – 2,36
64 – CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS – UNIFEB – 2,36
65 – UNIVERSIDADE DE MARÍLIA – UNIMAR – 2,35
66 – UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA – UNISUL – 2,34
67 – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ – PUCPR – 2,33
68 – UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS – UCPEL – 2,33
69 – FACULDADE IDEAL – FACI – 2,32
70 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – UFOP – 2,31
71 – UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP – 2,30
72 – FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA – FACENS – 2,29
73 – UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO – UNINOVE – 2,28
74 – FACULDADE DE ENGENHARIA SÃO PAULO – FESP – 2,27
75 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS – UFAM – 2,24
76 – UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE – UFCG – 2,22
77 – UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL – UNICSUL – 2,19
78 – UNIVERSIDADE DE FRANCA – UNIFRAN – 2,19
79 – UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ – UTP – 2,19
80 – UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ – UFPA – 2,18
81 – UNIVERSIDADE DE UBERABA – UNIUBE – 2,18
82 – FACULDADE ANHAGUERA DE JUNDIAÍ – – 2,18
83 – UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO – USF – 2,17
84 – UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE – UNESC – 2,15
85 – FACULDADE REDENTOR – FACREDENTOR – 2,13
86 – FACULDADE DE ENGENHARIA DA FUNDAÇÃO ARMANDO ALVARES PENTEADO – FEFAAP – 2,12
87 – CENTRO UNIVERSITÁRIO AUGUSTO MOTTA – UNISUAM – 2,11
88 – UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA – UNIVAP – 2,08
89 – ESCOLA DE ENGENHARIA DE PIRACICABA – EEP/FUMEP – 2,07
90 – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS – PUC GOIÁS – 2,07
91 – UNIVERSIDADE POTIGUAR – UNP – 2,06
92 – CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE PALMAS – CEULP – 2,05
93 – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS – PUC-CAMPINAS – 2,04
94 – UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU – FURB – 2,03
95 – UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA – UFPB – 2,02
96 – FACULDADE DINÂMICA DAS CATARATAS – UDC – 2,01
97 – CENTRO UNIVERSITÁRIO MOURA LACERDA – CUML – 2,00
98 – UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS – UEG – 2,00
99 – FACULDADE DE ENGENHARIA SOUZA MARQUES – FESM – 2,00
100 – CENTRO UNIVERSITÁRIO NOSSA SENHORA DO PATROCÍNIO – CEUNSP – 1,99

Entrevistado
Professor Doutor Jeselay Hemetério Cordeiro dos Reis, coordenador do curso de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Maringá

Currículo
Graduado pela Escola de Engenharia de São Carlos (USP/São Carlos), com doutorado em 2006 pela mesma escola, defendendo a tese Modelo de atrito estático em interfaces de contato entre concreto e areia.
Contatos: jhcreis@uem.brjeselay@hotmail.com

Crédito Foto: Divulgação/UEM

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: