Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Em evolução, pequeno construtor vira gestor de obras

Gestão, Gestão de Obras, Mercado da Construção 26 de março de 2014

Para não estourar capital de giro, empreendedor da área da construção precisa administrar gargalos e seguir à risco o prazo de entrega

Por: Altair Santos

Dia 26 de março é o Dia do Construtor. Puxado pelas novas exigências do setor, esse profissional evoluiu e se transformou em gestor de obras. Construir, hoje, é saber lidar com os gargalos tão comuns no canteiro de obras e ter capacidade para atrair investidores, tanto para a incorporação quanto para a construção. Além disso, o construtor não pode ficar alheio às novas ferramentas, como o BIM, e à atualização das normas técnicas, principalmente depois da entrada em vigor da Norma de Desempenho.

Luiz Alberto de Araújo Costa, presidente da APeMEC: mão de obra e receber em dia são uns dos desafios de pequenos e médios construtores

No entanto, há um cenário um pouco diferente para aqueles que atuam como pequenos e médios construtores. Para esses, capital de giro e qualidade da mão de obra fazem a diferença na hora de empreender. São empresários que precisam cumprir os prazos de entrega para seguir captando novas obras e mantendo-se no mercado. É uma realidade que Luiz Alberto de Araújo Costa, presidente da APeMEC (Associação das Pequenas e Médias Construtoras do Estado de São Paulo) explica como funciona na entrevista a seguir:

Hoje, para o pequeno e médio construtor, qual o peso da gestão da obra no negócio dele?
Estima-se que o peso gire em torno de 10%, em valores financeiros. A gestão da obra começa a ter grande influência, inclusive para minimizar perdas e aumento de produtividade.

A APeMEC oferece que tipo de ajuda ao construtor que encontra dificuldade neste área de gestão?
Oferecemos palestras, cursos, assessoria jurídica e tributária. Quando existem pleitos ou demanda pelos associados, procuramos atendê-los com cursos para esclarecimentos, como Desoneração da Folha de pagamento no Segmento da Construção Civil e Licitação-RDC (Regime Diferenciado de Contratação).

Dentro da gestão da obra quais são os maiores desafios para o pequeno e médio construtor?
Padrão de obra, prazo de entrega, mão de obra e cumprir com as obrigações trabalhistas.

O pequeno construtor já começa a ter acesso a tecnologias, como o BIM, por exemplo, ou isso está distante deste segmento?
Já começa a ser uma preocupação ter acesso às tecnologias e estar atualizado com o mercado. A APeMEC ajuda as empresas trazendo palestras e fazendo convênios com universidades e fornecedores, como por exemplo a parceria que temos com a Softplan, que distribui um software de gestão para a indústria da construção civil, assim como com as Universidades Anhanguera-Morumbi e a UNINOVE.

Quando o pequeno e médio construtor inicia uma obra, quais são as demandas que mais preocupam ele?
Capital de giro, mão de obra, receber de seus clientes públicos ou privados nos prazos acordados.

Hoje, o negócio mais atrativo para pequenos e médios construtores é estabelecer parcerias com grandes incorporadoras ou ele mesmo tocar sua obra?
O mais atrativo, sem sombra de dúvidas, é tocar a própria obra. As grandes empresas fazem verdadeiros leilões, aviltando os preços em função de seus ganhos e lucros.

A compra e a estocagem do material de construção são estratégicas para o pequeno construtor viabilizar seu negócio?
Atualmente não há necessidade de estocar, pois o mercado atende de forma geral a demanda. Estocar seria um erro.

No Brasil, qual é a fatia que o pequeno e o médio construtor ocupam no mercado?
Para obras públicas, em torno de 10% em valores financeiros. Particular, por volta de 50%. Se for para as pequenas obras, como reforma e manutenção, daí é praticamente 100%. Para a mão de obra, a pequena e a média construtora representam em torno de 80% do volume de emprego gerado.

A Norma de Desempenho também entrou na pauta dos pequenos e médios construtores?
Sim, a APeMEC participa das discussões e seminários, informa seus associados através de comunicados. Mas entendemos que a norma está voltada para grandes empreendimentos.

Entrevistado
Engenheiro civil Luiz Alberto de Araújo Costa. Preside a APeMEC (Associação de Pequenas e Médias Empresas de Construção Civil do Estado de São Paulo) desde 2010
Contatos
apemec@apemec.com.br
www.apemec.com.br

Crédito Foto: Divulgação

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: