Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Duplicação da Régis é concluída: obra emblemática

Área Técnica, Construção Sustentável, Construindo Melhor, Grandes Obras, Inovação, Novas Tecnologias, Obras Inovadoras, Sustentabilidade 10 de janeiro de 2018

Primeiro projeto de “engenharia verde” no Brasil, trecho que corta a Serra do Cafezal foi aberto para o tráfego de veículos no final de 2017

A Arteris, concessionária da rodovia Régis Bittencourt – trecho da BR-116 que liga São Paulo-SP a Curitiba-PR – liberou dia 19 de dezembro de 2017 os 10 quilômetros
da segunda pista da Serra do Cafezal. Trata-se de uma das obras de infraestrutura rodoviária mais emblemáticas do Brasil. A ponto de, dia 18 de janeiro, o canal de TV a cabo Discovery transmitir um documentário sobre os desafios da duplicação do trecho, que é considerado o primeiro projeto de “engenharia verde” no país. O novo traçado conseguiu cruzar a Mata Atlântica sem comprometer a flora e a fauna da região. 

Duplicação da Serra do Cafezal: obras ajudam a conservar a Mata Atlântica.

Duplicação da Serra do Cafezal: obras ajudam a conservar a Mata Atlântica.

Adaptar a duplicação à geografia da serra, para superar os entraves ambientais, foi a parte mais demorada. O projeto nasceu em 2007, mas as primeiras liberações para a instalação do canteiro de obras só saíram em 2010, e ainda assim por partes. A principal licença ambiental para que o traçado avançasse sobre o ponto mais preservado da Mata Atlântica na região só foi autorizada em 2013. Mesmo assim, em 2015, o projeto teve que ser revisto, pois uma das liberações sofreu interdição. Exigiu-se a construção de passagens de nível para que os animais pudessem cruzar as áreas de floresta sem ter contato com as pistas.

O baixo impacto ambiental da obra causou uma situação inédita no trecho de Mata Atlântica cortado pelo novo traçado da Régis Bittencourt: favoreceu a regeneração mais acelerada da floresta, beneficiado também pelo plantio de mais de 400 mil mudas e a criação de 17 programas ambientais monitorados pela Arteris em parceria com universidades. O programa incluiu recuperação de áreas degradadas, proteção da fauna e da flora, instalação de bioindicadores e monitoramento da qualidade da água. “Foram medidas que nos permitiram entregar uma rodovia ainda mais moderna, sustentável, segura e eficiente aos nossos usuários”, diz Nelson Bossolan, diretor-superintendente da Arteris Régis Bittencourt.

Túneis, pontes e viadutos

Túneis receberam pavimento de concreto e contam com áreas de escape, além de terem sido fundamentais para preservar o meio ambiente na região.

Túneis receberam pavimento de concreto e contam com áreas de escape, além de terem sido fundamentais para preservar o meio ambiente na região.

O emprego de tecnologias de construção tornou-se fundamental para alcançar o objetivo e cumprir as metas ambientais. Foram construídos 39 viadutos e pontes, além de quatro túneis de última geração, com moderno sistema de automação e segurança, que inclui ventilação, iluminação, sistema de prevenção e mitigação de incêndios, escoamento inteligente de fluídos inflamáveis e dispositivos de comunicação como call boxes e autofalantes. O investimento de R$ 1,3 bilhão contou com recursos provenientes do aporte dos acionistas do Grupo Arteris, Abertis e Brookfield, e de linhas de financiamento de longo prazo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Por dia, a Régis Bittencourt recebe, em média, 127 mil veículos, dos quais 60% são caminhões.  “A duplicação, com pistas de 3 e 4 faixas, encerra um gargalo logístico e abre o caminho para acelerar o crescimento econômico do país. As novas pistas melhoram as condições de trafegabilidade e reduzem o custo Brasil, ampliando, assim, a produtividade de empresas de setores como serviços, indústria, turismo e agronegócio”, explica o presidente da Arteris, David Díaz.

Veja vídeo sobre a duplicação da Serra do Cafezal

Entrevistados
– Administrador de empresas David Anton
io Díaz Almazán, presidente da Arteris
– Engenheiro civil Nelson Bossolan, diretor-superintendente da Arteris Régis Bittencourt

Contato
autopistaregis@autopistaregis.com.br

Crédito Fotos: Arteris

Jornalista responsável: Altair Santos MTB 2330


Leia também: