A quase 900 dias da Copa, estádios aceleram obras

A quase 900 dias da Copa, estádios aceleram obras

A quase 900 dias da Copa, estádios aceleram obras 150 150 Cimento Itambé
Doze construções vão consumir quase 1 milhão de m³ de concreto, custar R$ 6,5 bilhões e envolver 20 mil trabalhadores 
Por: Altair Santos

Com exceção da Arena da Baixada, em Curitiba, e do Beira-Rio, em Porto Alegre, que ainda não têm canteiros de obras instalados e devem implantá-los no começo de 2012, todos os outros dez estádios escolhidos pela Fifa (Federação Internacional do Futebol) para sediar jogos da Copa do Mundo de 2014 encontram-se com suas obras aceleradas. Três deles estão em estágio avançado: Castelão, em Fortaleza, com 50,09% da execução cumprida; Mané Garrincha, em Brasília, com 42%, e Mineirão, em Belo Horizonte,  com 40%.

Esses três estádios, além do Maracanã, devem ficar prontos até dezembro de 2012, pois serão palcos das partidas da Copa das Confederações – torneio-teste da Fifa, que ocorre um ano antes do mundial. Com exceção do Mané Garrincha, os demais envolvem obras de retrofit – modernização e recuperação de estruturas já existentes. Isso leva a crer que os cronogramas sejam cumpridos sem problemas. Aliás, quase metade dos equipamentos que serão utilizados na Copa vão prescindir apenas de retrofit. Incluem-se aí, além de Castelão, Mineirão e Maracanã, o Beira-Rio e a Arena da Baixada.

Dos estádios cujos projetos tiveram que começar do zero, todos estão investindo em estruturas pré-fabricadas para conseguir ganhar tempo. Por isso, em termos de volume de concreto, a Copa do Mundo de 2014 terá um volume de concreto moldado no local. O estimado é que as 12 obras – considerando as estruturas dos estádios e os anexos – sejam finalizadas com menos de um milhão de metros cúbicos de concreto. O número equivale a 1/5 do que vão precisar as duas maiores usinas hidrelétricas atualmente em construção no Brasil: Jirau (2,8 milhões de m³ de concreto) e Belo Monte (3,7 milhões de m³ de concreto).

Outro detalhe  em comum entre os estádios em obra é que, para obter licenças ambientais, os construtores precisaram assumir compromissos com a sustentabilidade. No caso dos que envolvem retrofit, o principal deles era que instalassem recicladoras para aproveitar o concreto demolido nas novas estruturas. Castelão, Maracanã e Mineirão já têm esses equipamentos em seus canteiros de obras. O Beira-Rio também irá reutilizar o material demolido, assim como a Arena das Dunas reaproveitará o concreto do extinto Machadão e a Arena de Salvador da antiga Fonte Nova.

A quase 900 dias da Copa, e a um custo total de R$ 6,5 bilhões, as obras avançam e já geram mais de 14 mil empregos diretos. No pico, que se dará no segundo semestre de 2012, deverá envolver pelo menos 20 mil trabalhadores. Veja como está o cronograma de cada um dos 12 estádios:

Castelão
Estágio das obra: 50,09% concluída
Previsão de entrega: dezembro de 2012
Custo: R$ 518,6 milhões
Volume estimado de concreto: 59.117 m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 718

Maracanã
Estágio das obra: 32% concluída
Previsão de entrega: abril de 2013
Custo: R$ 705.589.143,72
Volume estimado de concreto: 31 mil m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 2.450

Mineirão
Estágio das obra: 40% concluída
Previsão de entrega: dezembro de 2012
Custo: R$ 654,6 milhões
Volume estimado de concreto: 23.186 m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 1.500

Mané Garrincha
Estágio das obra: 42% concluída
Previsão de entrega: dezembro de 2012
Custo: R$ 918 milhões
Volume estimado de concreto: 129.279 m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 2.500

Arena Amazônia
Estágio das obra: 30% concluída
Previsão de entrega: dezembro de 2013
Custo: R$ 548,68 milhões
Volume estimado  de concreto: 26,2 mil m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 980

Arena Corinthians
Estágio das obra: 19% concluída
Previsão de entrega: dezembro de 2013
Custo: R$ 820 milhões
Volume estimado de concreto: 17.500 m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 800

Arena das Dunas
Estágio das obra: 11% concluída
Previsão de entrega: dezembro de 2013
Custo: R$ 540 milhões
Volume estimado de concreto: 42 mil m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 382

Arena Fonte Nova
Estágio das obra: 35% concluída
Previsão de entrega: março de 2013
Custo: R$ 786 milhões
Volume estimado de concreto: 45 mil m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 1.400

Arena Pantanal
Estágio das obra: 35% concluída
Previsão de entrega: fevereiro de 2013
Custo: R$ 462 milhões
Volume estimado de concreto: 38 mil m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 650

Arena Pernambuco
Estágio das obra: 20% concluída
Previsão de entrega: julho de 2013
Custo: R$ 532 milhões
Volume estimado de concreto: 65 mil m³
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: 1.677

Arena da Baixada
Estágio das obra: não definido
Previsão de entrega: março de 2013
Custo: R$ 250 milhões
Volume estimado de concreto: não definido
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: sem canteiro de obras instalado

Beira-Rio
Estágio das obra: não definido
Previsão de entrega: dezembro de 2013
Custo: R$ 290 milhões
Volume estimado de concreto: não definido
Empregos diretos gerados atualmente pela obra: sem canteiro de obras instalado

 

Crédito: Divulgação/COL/Odebrecht/
Fontes: Secretarias especiais para assuntos da Copa (Secopa-MG, Secopa-MT, Secopa-AM, Secopa-CE, Secopa-RN, Secopa-BA, Secopa-PR, Secopa-RS, Secopa-PE e Secopa-RJ), Sinaenco, Odebrecht e COL (Comitê Organizador Local da Fifa)

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330
VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil