Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

Crédito imobiliário precisa criar fontes alternativas

Finanças, Gestão, Mercado Imobiliário 25 de maio de 2011

Mercado cresce mais do que os recursos gerados pela caderneta de poupança para financiar imóveis e Abecip prevê escassez em três anos

Por: Altair Santos

A Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) iniciou em 2011 uma cruzada para alertar o governo brasileiro de que o modelo de financiamento imobiliário no país precisa ser revisto. Atualmente, apenas duas fontes geram recursos para quem precisa emprestar dinheiro para comprar a casa própria. Uma é o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e a outra é a caderneta de poupança.

Luiz Antônio França: “A escassez dessa fonte de recursos está prevista para dentro de dois a três anos.”

Em 2010, de 1,052 milhão de imóveis residenciais financiados, 631 mil utilizaram dinheiro do FGTS e 421 mil do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). O comprometimento dos recursos do fundo de garantia e da poupança chegou a 57% do estoque. Por lei, o limite de financiamento destas duas fontes não pode extrapolar o teto de 65%. Segundo a Abecip, no ritmo atual de crescimento, isso deve ocorrer em três anos.

O problema é que, enquanto a demanda por financiamento imobiliário cresce a taxas de 50% ao ano no Brasil, o FGTS e a poupança só conseguem expansão média anual de 20%. “A escassez dessa fonte de recursos está prevista para dentro de dois a três anos. Aí está uma preocupação: temos de buscar fontes alternativas de financiamento”, alerta Luiz Antonio Nogueira de França, presidente da Abecip.

Segundo o dirigente, o governo brasileiro já está atento a esse descompasso, assim como o sistema financeiro. “Estamos trabalhando muito com a Secretaria de Política Econômica, do Ministério da Fazenda. Felizmente, o governo se sensibilizou sobre o assunto”, afirma Luiz França. Segundo ele, uma das propostas é que o governo estimule os bancos privados a entrar no mercado de crédito imobiliário. Hoje, 85% desta modalidade de financiamento é gerenciado pela Caixa Econômica Federal.

A Abecip defende que o incentivo às instituições financeiras privadas poderia vir na forma de uma autorização para que elas emitissem títulos para captar recursos específicos para o financiamento imobiliário e também na redução dos impostos cobrados dos bancos para operar esse tipo de crédito.

A associação defende alternativas como a securitização e os covered bonds – espécie de título de investimento que já tem ampla aceitação na Europa, por exemplo. “São papéis de longo prazo, adequados ao financiamento imobiliário. No caso dos covered bonds, será necessária uma grande discussão envolvendo todas as entidades e o governo, para que venhamos a ter uma estrutura em que as prestações, com as novas fontes de funding (dívida de longo prazo) sejam semelhantes às atuais”, destaca o presidente da Abecip.

A busca de novas alternativas de financiamento também é vista como estratégica para fomentar o crédito imobiliário, que hoje representa apenas 4% do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro. “Acreditamos que, em 2014, esse número deve atingir 11% do PIB, com uma carteira da ordem de R$ 500 bilhões”, estima Luiz Antonio França, que apesar dos gargalos se mostra otimista. Ele compartilha da ideia de que o mercado imobiliário tem garantido crescimento sustentado para os próximos 20 anos.

Serviço
Quer saber mais sobre o assunto?
Dia 2 de junho de 2011, em São Paulo, a Abecip promove o seminário “Ampliando o funding para o mercado imobiliário”.
Mais informações no www.abecip.org.br

Entrevistado
Luiz Antonio França, presidente da Abecip (Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança)
Currículo

– Graduado em Engenharia Civil, formado pela Universidade Mackenzie
– Diretor Gerente do Banco Itaú, desde 1995
– Diretor do Credit Lyonnais Securities Corporate Finance (Nova York – USA)
– Conselheiro da CNF (Confederação Nacional das Instituições Financeiras)
– Diretor do Comitê Executivo de Negócios da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos)
– Membro do Fórum de Competitividade da Cadeia Produtiva da Construção Civil – MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior)
– Membro do Conselho Estadual de Habitação de São Paulo
Contato: abecip@abecip.org.br / imprensa@abecip.org.br (assessoria de imprensa)

Crédito foto: Divulgação/Abecip

Jornalista responsável: Altair Santos – MTB 2330


Leia também: