Coréia do Sul constrói túnel submerso a 48 m de profundidade no Pacífico

Coréia do Sul constrói túnel submerso a 48 m de profundidade no Pacífico

Coréia do Sul constrói túnel submerso a 48 m de profundidade no Pacífico 150 150 Cimento Itambé

Peças pré-moldadas são submergidas cheias d’água até formarem uma seção contínua

Túnel submerso a 48 m de profundidade no Pacífico

Túnel submerso a 48 m de profundidade no Pacífico

O túnel submerso da interligação rodoviária entre a cidade de Busan e a Ilha Geoje, localizadas na Coréia do Sul, teve sua sexta seção posicionada. Formada por oito peças pré-fabricadas de concreto, a seção possui 45 mil toneladas e 180 m de comprimento. No total, serão utilizadas 18 seções para completar 3,2 km do túnel que integra projeto com 8,2 km de extensão e custo de US$ 5,8 bilhões.

Cada uma das oito peças pré-fabricadas de concreto possui 22,5 m de extensão, 26,46 m de largura e 9,97 m de altura. O processo industrializado consegue executar a concretagem simultânea de quatro peças em uma doca seca. A resistência das peças é de 35 MPa. Após curadas, as peças são rebocadas pelo mar ao longo de 35 km para chegar ao local de execução.

As seções das duas rampas de acesso ao túnel serão um pouco mais pesadas, cada uma terá 48 mil toneladas. O túnel terá quatro faixas e uma galeria central para serviço e rota de fuga. A obra está a 48 m abaixo do nível da água do Oceano Pacífico, segunda maior profundidade de um túnel submerso. A área possui geologia frágil e que demandou intervenções. Além disso, é necessário respeitar a janela de ventos fortes e até tufões para executar o empreendimento.

O túnel está orçado em US$ 1,8 bilhões e interliga a segunda maior cidade da Coréia do Sul, Busan, à ilha de Geoje. Há ainda duas pontes estaiadas de dois quilômetros que integram a rodovia. Atualmente, o único acesso a ilha é por meio de uma ferrovia de 140 km. As novas vias deverão ser entregues no final de 2010 e encurtar o percurso em 60 km.

O governo sul-coreano investirá 72% dos US$ 5,8 bilhões. O consórcio formado por sete empresas coreanas, liderado pela Daewoo Engineering and Construction, responderá pelo resto do montante e terá a concessão da via durante 40 anos.

Fonte: PINIWeb

VEJA TAMBÉM NO MASSA CINZENTA

MANTENHA-SE ATUALIZADO COM O MERCADO

Cadastre-se no e receba o informativo semanal sobre o mercado da construção civil