Em 2010, nem o Cristo Redentor, durante as reformas, foi poupado dos pichadores.