Cimento Itambé

Portal Itambé
Ligue-nos

A Natureza e o céu azul agradecem

Responsabilidade Social e Ambiental 19 de junho de 2007

Desde março deste ano a quantidade de material particulado emitida pela Itambé é 35 vezes menor do que a permitida por lei

Créditos: Rosemeri Ribeiro – Assessora de Comunicação

Uma solução técnica adotada pela Itambé tornou possível reduzir a emissão de particulados sólidos resultantes do processo de fabricação do cimento. Conforme a Resolução 041/02 – SEMA – Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, a emissão máxima permitida é de 70mg/Nm3 na condição de 7% de 02 na base seca. A partir da modernização do eletrofiltro da Empresa, a emissão de material particulado sólido passou a ser de 2mg/Nm3, 35 vezes menor do que a quantidade permitida por lei.

Esta solução foi possível graças à transformação do filtro eletrostático em filtro híbrido. O processo constituiu no aproveitamento do eletrofiltro existente – composto por três câmaras eletrostáticas. A primeira câmara foi mantida e as partes internas das outras duas substituídas por um conjunto de mangas filtrantes. Também fez parte do projeto a troca do conjunto de acionamento (motor elétrico de 1800kw, com inversor de freqüência em média tensão) do ventilador principal do eletrofiltro.

João Cordeiro Martinez, Gerente de Novos Projetos e responsável técnico pelo projeto conta que todas as etapas foram minuciosamente elaboradas e revisadas. “Não havia margem para erros. Levamos um ano estudando o projeto, tudo teve de ser planejado à exaustão”, diz. A execução do projeto se deu em duas etapas. A primeira, durante a parada programada para manutenção preventiva da fábrica, em setembro de 2006 e a segunda, em março deste ano. Houve ainda períodos de pré-montagens, entre as duas paradas, durante os quais foram fabricadas as peças a serem utilizadas na modernização do eletrofiltro.

Durante a primeira etapa, ocorreu a substituição do acionamento do ventilador principal, a substituição das laterais e teto da câmara 1, pintura interna das câmaras 2 e 3 e adequação das interferências (mudanças no duto de interligação da chaminé, passarelas, etc.). Na segunda parada foram realizadas a desmontagem do teto e dos internos das câmaras 2 e 3, desmontagem da caixa de saída do eletrofiltro, montagem do plenum de ar limpo, casing e duto de saída, montagem do conjunto de mangas filtrantes, do sistema de limpeza das mangas e das válvulas de ar fresco de segurança para as mangas. Nesta etapa aconteceu também a automação e interligação do sistema com comando central.

O investimento total da Itambé neste projeto foi de R$ 6,5 milhões. “O resultado é a segurança de que estamos cumprindo muito mais do que a legislação exige”, comemora Alcione Rezende, Gerente Geral da Fábrica.

Foto 1

Foto 2

Legendas:
Foto 1: Investimento e planejamento foram fundamentais para o sucesso do projeto.

Foto 2: Sem fumaça: a modernização do eletrofiltro garante emissões muito inferiores às permitidas e um visual muito mais natural à Fábrica da Itambé.

Jornalista Responsável: Rosemeri Ribeiro Mtb. 2696



Tags:
Leia também: