Marcelo Medeiros, da UFPR: marquises fogem à regra de que o concreto avisa quando vai desabar